Se muitas pessoas já eram contra a realização da Copa do Mundo no Brasil a situação em Minas Gerais piorará ainda mais. O torneio de futebol mais importante do mundo entre seleções fará com que a educação do estado receba menos verbas.

 Marcio Lacerda, prefeito de Belo Horizonte, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender a lei que determina que 30% do orçamento municipal seja aplicado na educação local. Caso consiga suspender a lei, a prefeitura de Belo Horizonte deixará de investir cerca de R$ 500 milhões na educação em 2013.

A alegação da prefeitura é de que a parcela que por lei deveria ser destinada à educação atrapalharia os investimentos que precisam ser feitos para a Copa do Mundo de 2014.

O pedido foi enviado ao ministro Dias Toffoli, que tramita na corte, para suspender a lei.

O Mineirão, palco da Copa do Mundo no estado, está em fase final de construção. O estádio abrigará seis partidas no torneio, entre elas uma oitavas de final e uma semifinal.


Notícia Copa 2014 Copa do Mundo