Considerada por muitos como a principal competição nacional de clubes da Europa, a Premier League vem sendo bastante criticada nos últimos anos por decepcionar quando o assunto é a Liga dos Campeões. Na Copa do Mundo, no entanto, o torneio inglês veio para mostrar força e pode até fazer história na Rússia.

Na Champions, a pulga atrás da orelha se justifica. Nas últimas dez temporadas, os clubes ingleses disputaram apenas quatro finais: Manchester United (duas vezes), Chelsea e Liverpool. Nas quatro ocasiões, apenas o Chelsea foi campeão, após bater o Bayern de Munique, nos pênaltis, na temporada 2011/2012.

Já na Copa do Mundo, a Premier League teve destaque desde o início. O torneio foi, disparadamente, o que mais cedeu jogadores para o Mundial da Rússia. Ao todo, foram 124 atletas. Para se ter uma ideia, em segundo lugar ficou a LaLiga, da Espanha, com 81 jogadores, seguida da Bundesliga, da Alemanha, com 67.

Foto: Reprodução / Twitter (@FIFAWorldCup)

Entre os clubes, o Manchester City foi o líder geral de convocações, com 16 jogadores. Além dos Citizens, outros três ingleses aparecem no Top 10: Tottenham, com 12 atletas; e Chelsea e Manchester United, com 11 cada um.

Agora, nas semifinais, o destaque é ainda mais impressionante. Entre as quatro seleções restantes, a Premier League possui nada menos do que 41 jogadores. A seleção inglesa, inclusive, pode entrar para a história, já que tem seus 23 atletas atuando no próprio país.

A Bélgica, por sua vez, possui 12 de seus 23 atletas disputando a Premier League, entre eles os quatro destaques do time (Courtois, De Bruyne, Hazard e Lukaku). Para completar, a França tem cinco representantes no campeonato inglês, enquanto a Croácia possui apenas um, o zagueiro Lovren, do Liverpool.

Foto: Reprodução / Twitter (@FIFAWorldCup)

Entre os quatro semifinalistas, o principal destaque quando o assunto são os clubes é o Tottenham: nove jogadores são dos Spurs. Em seguida, vêm Manchester City e Manchester United, com sete jogadores cada um.

O predomínio do futebol inglês mostra o quanto o torneio se fortaleceu nos últimos anos. Tendo uma base sólida de geração e distribuição de receitas por meio da liga, os clubes da Inglaterra são hoje destaque entre os mais ricos do mundo. 

Além do Manchester United ocupar o topo da lista, faturando 677 milhões de euros ao ano, outros nove times ingleses estão entre os 20 de maior faturamento no mundo da bola. A liga inglesa é a que gera maior receita no futebol, com US$ 6,4 bilhões de faturamento anual. Esse valor deve se tornar ainda maior nos próximos anos, graças à renovação dos contratos de cessão de direitos de mídia.


Notícia Copa do Mundo Premier League destaque faturamento mídia mercado marketing gestão Liga dos Campeões