O tão aguardado prêmio da indústria esportiva brasileira tem sua primeira etapa com a indicação dos primeiros finalistas ao prêmio de Melhores do Ano da Máquina do Esporte.

Mais uma vez, a escolha de quem foram os melhores será feita pelo público. Nesta primeira etapa, vamos divulgar os cinco indicados em duas categorias: Case Internacional e Atleta brasileiro do ano.

As votações serão feitas por meio do site da Máquina do Esporte, e terá início na próxima sexta-feira, quando serão conhecidos todos os 50 indicados nas dez diferentes categorias.

Na categoria CASE INTERNACIONAL, concorrem a Copa do Mundo Feminina, que foi disputada na França entre junho e julho. O evento foi um marco para o futebol feminino com recorde de público no estádio e na TV.

Outro evento de destaque foi a Copa Libertadores, que em 2019 teve pela primeira vez uma final única. O torneio conseguiu se firmar com grandes patrocinadores globais e ampliou a venda de mídia para o exterior.

Mais um postulante ao cargo é a Fórmula 1, com forte crescimento da audiência em todo o mundo e aumento de público nos autódromos. O trabalho de rejuvenescimento da F-1 feito pela Liberty Media começa a mostrar seus frutos.

Os outros dois cases são de patrocínios no futebol. O primeiro é o patrocínio da ALL ao time do PSG. A marca do grupo Accor vai usar a exposição global do clube para anunciar seu novo serviço para o consumidor.

Outro participante é a Rakuten, patrocinadora do Barcelona e do Golden State Warriors, que criou uma plataforma de streaming para mostrar gratuitamente bastidores dos patrocinados. Além disso, a marca japonesa criou um programa de ativação do Barcelona globalmente, envolvendo até mesmo revendedores no Brasil

Na categoria ATLETA DO ANO os concorrentes são: Marta, principal nome do Brasil no futebol feminino. A atleta causou alvoroço durante o Mundial feminino ao jogar com um batom da patrocinadora Avon e usar a exposição do torneio para pregar mais igualdade entre gêneros no futebol.

Concorrendo ao bicampeonato de melhor do ano está Gabriel Medina, vice-campeão mundial de surfe, mas que fora das águas colecionou patrocínios: Bradesco e Adidas foram dois deles.

Medina terá a companhia de Tati Weston-Webb, surfista natrual de Porto Alegre, que assegurou vaga nas Olimpíadas de 2020 e também somou os patrocínios de Havaianas e TCL ao portfólio.

Outros dois concorrentes são Hugo Calderano, que mais uma vez ficou no top 10 do tênis de mesa mundial, e Arthur Nory, que elevou o nome da ginástica brasileira ao ser ouro no Mundial de Stuttgart.

Na terça-feira, divulgaremos os finalistas em Executivo do Ano e Evento do Ano.


Notícia Máquina do Esporte Melhores do Ano Marketing Gestão Patrocínio PSG Fórmula 1 Copa Libertadores Copa do Mundo