Um evento realizado em um hotel na zona sul de São Paulo na manhã desta quarta-feira (23) serviu para anunciar os resultados do primeiro ano de atuação do Rating Integra, principal ferramenta de avaliação do grau de governança, integridade e transparência na gestão das entidades esportivas do país. A iniciativa é resultado da união entre a organização Atletas pelo Brasil, o Comitê Olímpico do Brasil (COB), o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), o Instituto Ethos e o Pacto pelo Esporte, movimento liderado por 32 empresas patrocinadoras do esporte brasileiro.

Dentre as 26 entidades que participaram do primeiro ciclo do Rating Integra, apenas cinco foram avaliadas com notas acima da nota de corte. Foram elas: Confederação Brasileira de Vela (CBVela), Associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE), Confederação Brasileira de Badminton (CBBd), Confederação Brasileira de Desportos na Neve (CBDN) e Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM).

De acordo com o Rating Integra, a maior nota alcançada foi 8,7, enquanto a menor foi 2,4. A média ficou abaixo de 5, chegando a apenas 4,65. Além das cinco consideradas como detentoras de boas notas, nenhuma outra entidade esportiva envolvida foi citada.

Foto: João Neto / Fotojump

"Tivemos um primeiro ano de muitos aprendizados e ajustes, como era de se esperar para uma ferramenta tão importante. É com muita satisfação que apresentamos hoje essa primeira fotografia do cenário esportivo nacional, já com a certeza de que no próximo ano teremos muito mais entidades aderindo ao Rating Integra. Trata-se de um esforço de longo prazo para melhorar o esporte no Brasil e para isso é preciso o envolvimento de todos", disse Daniela Castro, diretora executiva do Pacto Pelo Esporte, durante o evento.

No segundo ciclo lançado nesta quarta-feira (23), o Rating Integra continuará servindo como referência para as empresas patrocinadoras no futuro, visando aumentar o investimento no setor, além de trazer mais transparência e eficácia para as entidades. Algumas empresas apoiadoras do Pacto Pelo Esporte, como EY, Itaú e Mastercard anunciaram contrapartidas, como a criação de cursos, para as entidades que já aderiram ao Rating Integra. A ideia é que o apoio aumente nos próximos anos.

Ainda na tentativa de aumentar o número de confederações, federações e clubes na lista do Rating Integra para o segundo ciclo, as empresas envolvidas fizeram um comunicado importante:

"A participação de uma confederação, federação ou clube no Rating Integra será uma condição 'sine qua non' ('sem a qual não pode ser', que se refere a uma ação cuja condição é indispensável e essencial) para que as empresas que pertencem ao Pacto pelo Esporte definam por patrocinar ou renovar acordo de patrocínio", revelou Paulo Kakinoff, CEO da GOL, que discursou em nome das 32 empresas associadas ao movimento.

Promovido pela ONG Atletas pelo Brasil e pelo Instituto Ethos, o Pacto pelo Esporte conta atualmente com AccorHotels, Aché, Algar, Asics, Banco do Brasil, Bradesco, BRF, BR Sports, Carrefour, Centauro, Cielo, Correios, Decathlon, EDP, Elemidia, Estácio, EY, Globo, GOL, Itaú, Johnson & Johnson, Latam, Mastercard, McDonald's, Passarelli, P&G, Quantum Smartphones, Santander, Sky, Somos Educação, Visa e Vivo.


Notícia Pacto pelo Esporte Rating Integra Atletas pelo Brasil COB CPB iniciativa privada governança integridade transparência resultados