O avanço alarmante do coronavírus na China começou a preocupar seriamente o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Faltando menos de seis meses para o início da competição, as autoridades já viram diversas ligas de vários esportes tomando providências, inclusive alguns eventos de qualificação (pré-olímpicos) serem adiados ou até cancelados, e já discutem quais medidas tomar para evitar qualquer tipo de problema entre julho e setembro.

De acordo com a imprensa internacional, a preocupação extrapolou o próprio Comitê Organizador. O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe e outras autoridades do governo já vieram a público para declarar a intenção de trabalhar em conjunto com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para minimizar o impacto do coronavírus nos Jogos.

"Estamos extremamente preocupados no sentido de que a propagação do vírus infeccioso possa ser um balde de água fria na realização dos Jogos. Espero que possa ser erradicado o mais rápido possível. Planejamos cooperar com o COI, o CPI (Comitê Paralímpico Internacional), o governo e a cidade de Tóquio para combater a doença", revelou Toshiro Muto, executivo-chefe do Comitê Organizador.

"Contramedidas contra doenças infecciosas constituem uma parte importante dos planos do Tóquio 2020 para sediar jogos seguros e protegidos. O Comitê continuará colaborando com todas as organizações relevantes que monitoram cuidadosamente qualquer incidência de doenças infecciosas e revisam quaisquer contramedidas", declarou o COI, em nota.

Foto: Reprodução

Até o momento, a World Athletics (antiga Iaaf) adiou para 2021 o Mundial Indoor de Atletismo, que seria disputado no mês que vem em Nanjing, na China, ao mesmo tempo em que a etapa da Copa do Mundo de Esqui, que aconteceria no próximo mês para testar o circuito de Yanqing, que será usado nos Jogos de Inverno de Pequim, em 2022, foi cancelada.

Além disso, a etapa asiática da Fed Cup de tênis que seria realizada na China, foi transferida para o Cazaquistão. Já a Associação Chinesa de Futebol (CFA) anunciou o adiamento do início da temporada 2020 de todas as suas ligas nacionais, inclusive a Super Liga Chinesa (CSL), primeira divisão do futebol do país.

Nesta semana, a Confederação Asiática de Futebol (AFC) adiou 12 dos seus próximos jogos na Liga dos Campeões. Até a Fórmula 1 também se mostra em alerta sobre o GP da China, marcado para o início de abril. A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) já disse que está "monitorando as condições". A Fórmula E e o PGA Tour de golfe também já modificaram calendários previamente estabelecidos.

Quanto a eventos relacionados diretamente aos Jogos Olímpicos de Tóquio, dois pré-olímpicos que seriam disputados no início de fevereiro na cidade de Wuhan, capital da província da China central que registrou grande parte dos casos da doença até o momento, tiveram seus locais modificados. A situação ocorreu com a disputa asiática do futebol feminino e com o boxe da Ásia e da Oceania.  

Segundo as últimas informações, o coronavírus já atingiu mais de 24.300 pessoas na China, com pelo menos 490 mortes. Para preocupação dos japoneses, também já foram confirmados dez casos da doença em um navio de cruzeiro japonês, que se encontra em quarentena no momento.


Notícia Coronavírus surto epidemia doença atletismo esqui tênis futebol F1 pré-olímpico Jogos Olímpicos Tóquio 2020