A partir desta terça-feira (5), o Museu do Futebol de São Paulo irá abrir a exposição “A Primeira Estrela”, em referência ao título da Copa do Mundo de 1958, conquistado pela seleção brasileira.

A ideia do evento é mostrar uma realidade diferente da seleção brasileira na época, sem o status de favorito que o time mantém hoje após cinco títulos conquistados. Além disso, há uma série de imagens, desde a preparação no Brasil até a decisão do torneio, que poucos brasileiros tiveram acesso. Na época, o rádio foi o modo de acompanhar o time na Suécia.

Foto: Divulgação

Foram montadas em 220 metros quadrados instalações de audiovisual em um dos andares do Museu do Futebol, com a interatividade que marca a atração paulista. Em um antigo túnel de acesso dos jogadores ao campo do Pacaembu, haverá a exibição do jogo da final, via imagens de uma série de emissoras europeias.

A montagem é patrocinada pelo Itaú, parceiro da Confederação Brasileira de Futebol. O aporte foi realizado por meio da Lei Rouanet; a exposição também conta com o apoio da Epson.  

“A Copa de 1958 não foi transmitida pela televisão no Brasil. Então, ‘A Primeira Estrela’ é uma chance de as pessoas verem o que o país só ouviu pelo rádio. É uma chance de conectar passado, presente e futuro, tendo como elos a beleza e a emoção que o futebol proporciona”, afirmou Eric Klug, diretor executivo do IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, organização social responsável pela gestão do Museu do Futebol.

A exposição estará montada até o dia 9 de setembro, de terça-feira a domingo, das 9h às 18h. O ingresso custa R$ 12, com exceção da terça-feira, quando a entrada é gratuita.


Notícia Museu do Futebol exposição marketing Itaú patrocínio Copa do Mundo de 1958 rádio seleção brasileira Pacaembu