O primeiro Grand Slam do ano começou neste domingo (19), já segunda-feira (20) na Austrália. No Brasil, a ESPN terá mais uma vez exclusividade do torneio. Por conta disso, a emissora apostará alto novamente e promete mais de 270 horas de tênis na programação.

Renan do Couto, Cledi Oliveira, Rogério Vaughan, Hugo Botelho e Matheus Pinheiro serão os narradores, com comentários de Fernando Roese, André Ghem, Letícia Sobral e Tiago Lopes. Além dos dois canais na TV por assinatura (ESPN e ESPN2), o torneio contará com transmissão de todas as partidas no WatchESPN, disponível para usuários de smartphones com sistema iOS e Android.

Segundo a emissora, a ESPN Brasil também estará envolvida, com os destaques do evento, em especial em seu principal jornal, o SportsCenter. O site da ESPN ainda trará resumos das partidas e também vídeos com curiosidades do torneio. 

Foto: Divulgação / ESPN

Dentro de quadra, o maior vencedor de Grand Slams da história, com 20 conquistas (sendo seis na Austrália), já estreou com vitória. Roger Federer bateu o americano Steve Johnson por 3 sets a 0 e se garantiu na segunda rodada em busca do seu sétimo título em Melbourne. Uma atração do torneio masculino em 2020 é que o suíço pode ser alcançado pelo espanhol Rafael Nadal, que atualmente possui 19 conquistas entre os quatro principais torneios do tênis mundial. O atual campeão Novak Djokovic também vem forte em busca do oitavo título no Grand Slam australiano.

No feminino, Serena Williams terá mais uma chance de se tornar a maior vencedora de Grand Slam da história. Se vencer, chegará a 24 no total, mesmo número de Margaret Court, soberana nas décadas de 60 e 70. Na estreia, a americana bateu a russa Anastasia Potapova por 3 sets a 0. 

Entre as mulheres, outras favoritas ao título são as quatro primeiras do ranking mundial: a australiana Ashleigh Barty, a tcheca Karolína Pliskova, a romena Simona Halep e a japonesa Naomi Osaka, respectivamente.


Notícia ESPN Australian Open Grand Slam tênis transmissão exclusividade mídia