A Fiat anunciou nesta quinta-feira (14) que será parceira da CBF até 2022, em um contrato que engloba todas as seleções brasileiras de futebol (masculina, feminina, olímpicas e de base). Com o acordo, a montadora italiana ratifica um retorno com força ao esporte que teve início em junho do ano passado.

À época, em plena Copa da Rússia, a marca convocou Muricy Ramalho, ex-treinador e atual comentarista do SporTV, para ser o garoto-propaganda do modelo Ducato. A publicidade, no entanto, foi pequena perto do que a montadora havia feito na Copa das Confederações em 2013 e na Copa do Mundo do Brasil em 2014. Naqueles anos, a patrocinadora da CBF era a Volkswagen, mas a ação de emboscada "Vem Pra Rua" teve tanta repercussão que chegou a ser hino dos protestos que se espalharam pelo país em 2013.

Foto: Máquina do Esporte

Apesar de "tímida", a ativação com Muricy foi um prenúncio do que viria pela frente. Em agosto, a Fiat fechou um acordo sem exposição nos uniformes com América, Atlético e Cruzeiro, além do Minas Tênis Clube. Depois, em outubro, ampliou a parceria com o Cruzeiro e colocou o logotipo da marca e também do modelo Argo nos ombros do uniforme em uma ação nas finais da Copa do Brasil.

Por último, em janeiro deste ano, renovou com América, Atlético e Cruzeiro. Dessa vez, porém, com visibilidade nos uniformes: a marca figura desde então nas barras frontais das camisas dos três principais clubes mineiros.

"Procuramos trabalhar com ciclos de quatro anos. Dessa forma, as marcas têm a Copa América no primeiro ano, a Olimpíada no segundo, as Eliminatórias e, quem sabe, a Copa das Confederações no terceiro, e fecham o ciclo com a Copa do Mundo", explicou Gilberto Ratto, diretor de marketing da CBF.

Com a CBF, o contrato, que não teve os valores revelados, entra na categoria ouro, a mesma de marcas como MasterCard e Gol, e abaixo apenas dos patrocinadores másteres da entidade (Nike, Itaú, Vivo e Guaraná Antarctica). Com competições importantes entre junho e julho, o trabalho já está em pleno andamento.

"Faremos uma série de ativações durante todo o contrato. Já temos, inclusive, ações de relacionamento acertadas para a Copa do Mundo Feminina e a Copa América. Inicialmente, estes dois torneios serão o nosso foco", afirmou Herlander Zola, diretor de branding e comercial da Fiat na América Latina.

* O repórter viajou a convite da Fiat


Notícia Fiat CBF seleção brasileira patrocínio marketing marca estratégia