A Fórmula E recebeu a aprovação da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), órgão que cuida do automobilismo em escala global, e ganhará status de Campeonato Mundial a partir da temporada 2020/2021. Com isso, a categoria de carros elétricos se juntará à Fórmula 1 como as duas competições de elite entre os monopostos. O nome oficial será Campeonato Mundial de Fórmula E da ABB FIA.

O acordo que garante o novo status foi assinado em Paris entre o fundador e presidente da Fórmula E, Alejandro Agag, e o atual presidente da FIA, Jean Todt. A mudança valerá a partir da sétima temporada da categoria, que terá início no final de 2020. Há duas semanas, a Fórmula E fez suas duas primeiras corridas da sexta temporada, com o e-Prix da Arábia Saudita.

Foto: Reprodução / Twitter (@FIAFormulaE)

"Sempre foi nossa ambição um dia se tornar um campeonato mundial da FIA. Tudo o que fizemos e entregamos até hoje tinha como objetivo esse momento específico. Conseguir o feito e receber o status de Campeonato Mundial da FIA adiciona mais credibilidade ao que já é uma fórmula de corrida completa e um produto esportivo espetacular", comemorou Alejandro Agag.

A novidade surge três meses após a Fórmula E ter divulgado ao jornal britânico Financial Times que a quinta temporada da categoria, encerrada em julho deste ano, foi a primeira a dar lucro, em especial por conta dos novos acordos de patrocínio com marcas como Bosch, Heineken, Moët & Chandon e Saudi Arabian Airlines.

As grandes marcas, aliás, têm olhado cada vez mais para a categoria. Entre as montadoras, por exemplo, Mercedes-Benz e Porsche estrearam equipes nesta temporada e seguiram o caminho já trilhado por Audi, BMW, DS Automobiles, Jaguar, Mahindra, Nissan e Venturi.

"A criação e o desenvolvimento da Fórmula E têm sido uma grande aventura. Estou orgulhoso de que hoje a confirmamos com o status de Campeonato Mundial da FIA. Desde que começamos essa jornada, a Fórmula E sem dúvida ganhou muita força. Em um curto espaço de tempo, a série provou ser relevante para a indústria automotiva, com mais dois grandes fabricantes de automóveis entrando no campeonato no início da temporada atual. O compromisso e o profissionalismo desses fabricantes, dos que já estavam antes e de suas respectivas equipes se refletem na qualidade desde a primeira corrida disputada em Pequim, em 2014. A cada e-Prix, a Fórmula E provou que o conceito de corrida elétrica funciona, por isso saúdo a categoria como o mais recente Campeonato Mundial da FIA", finalizou Jean Todt.


Notícia Fórmula E FIA Campeonato Mundial status marketing mercado automobilismo carros elétricos gestão Fórmula 1