O Comitê Olímpico do Brasil (COB) lançou nesta terça-feira (7), em um evento no Jardim Paulistano, zona oeste da cidade de São Paulo, o Selo dos Atletas Olímpicos. A marca foi criada especialmente para identificar, homenagear e valorizar atletas e ex-atletas que fizeram a história do esporte olímpico nacional.

Foto: Diana Amato

A ideia é que cada atleta brasileiro que tenha ao menos participado de uma edição dos Jogos Olímpicos possa ter a honra de usar o Selo “Atleta Olímpico”. Aquele que conquistou uma medalha de prata ou bronze usará o Selo “Medalhista Olímpico”. E quem foi ao alto do pódio em uma edição olímpica poderá ostentar o Selo “Campeão Olímpico”.

De acordo com o COB, desde a estreia nos Jogos Olímpicos da Antuérpia em 1920, o Brasil foi representado por 2.168 atletas. Deste total, 373 conseguiram subir ao pódio, sendo que apenas 98 conquistaram ao menos uma medalha de ouro.  

Contagem regressiva do COB para os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020. Foto: Diana Amato

O evento em São Paulo contou com a presença do presidente do COB, Paulo Wanderley, de outros dirigentes da entidade e também com 14 ex-atletas que conquistaram medalhas para o Brasil nos Jogos Olímpicos. São eles: Arthur Zanetti (ginástica artística), Aurélio Miguel (judô), Felipe Wu (tiro esportivo), Hortência (basquete), Isabel Swan (vela), Maurício Lima (vôlei), Robson Caetano (atletismo), Sarah Menezes (judô), Sheilla Castro (vôlei), Tande (vôlei), Thiago Pereira (natação), Tiago Camilo (judô) e Virna Dias (vôlei), além de Rogério Sampaio, ex-atleta do judô e atual diretor geral do COB.

“Este é um evento emblemático. O esporte olímpico tem tido grandes avanços no Brasil. O COB está modernizando sua gestão, estreitando relações, estruturando uma equipe de trabalho qualificada e implantando uma política de austeridade. Temos consciência de que o esporte tem um papel fundamental na sociedade. Através do esporte e de nossos atletas, passamos mensagens de vitória, de recompensa pela dedicação, de ousadia, de trabalho em equipe, de jogo limpo, de universalidade”, afirmou Paulo Wanderley.

Os atletas poderão utilizar o emblema na camisa confeccionada especialmente pelo COB, bem como em suas redes sociais, obedecendo às regras de proteção às marcas do Comitê Olímpico Internacional. O uso comercial do Selo, uma submarca da marca Time Brasil, não é autorizado e a aplicação em sites e perfis on-line deverá ser aprovada pelo departamento de marketing do COB.


Notícia COB Jogos Olímpicos Tóquio 2020 Selo Olímpico marketing gestão esporte