Além de discutir assuntos relativos à Champions League, a assembleia geral da Associação de Clubes Europeus (ECA, na sigla em inglês) desta terça-feira (26), em Amsterdã, também teve como resultado a decisão dos principais clubes do continente de ratificar o boicote ao "novo" Mundial de Clubes pensado pela Fifa para entrar em vigor em 2021.

A entidade que comanda o futebol mundial quer um torneio com 24 clubes, oito deles da Europa, e que seria disputado no meio do ano (a data em 2021 já estaria definida entre 17 de junho e 4 de julho) no lugar da Copa das Confederações. Atualmente, a competição tem apenas sete clubes e é sempre disputado em dezembro.

Foto: Reprodução

O motivo principal para a recusa dos clubes europeus seria uma agenda já apertada demais para se inventar um torneio com muito mais jogos e datas do que o formato atual.

"Todos concordamos que a Copa do Mundo de Clubes poderia ter uma reformulação do formato, mas, como está sendo imaginado, não é muito satisfatória. Para nós, há um calendário congestionado, mas estaremos mais do que felizes em discutir as mudanças pós-2024", revelou Andrea Agnelli, presidente da ECA, além de presidente e acionista majoritário da Juventus.

O dirigente ainda colocou outra questão aos jornalistas: o fato de a Fifa não ter dado nenhum tipo de informação de como os oito clubes europeus se classificariam para o torneio. A dúvida se dá, principalmente, porque o continente terá três competições em vigor a partir de 2024: Champions League, Europa League e Europa League 2.

"Não entendo como poderíamos participar hoje, já que não há nada sobre acesso. Precisamos de mais detalhes antes de nos comprometermos com tal projeto. Somos nós que investimos em jogadores, infraestrutura, desenvolvimento de jovens. A ideia de uma competição como essa em escala global pode fazer sentido, mas a maneira como isso foi gerenciado é como gerenciar a loteria local do Dia de Ação de Graças. Uma janela foi bloqueada para montar uma competição para clubes de todo o mundo, mas isso é tudo que sabemos", finalizou Agnelli.


Notícia Mundial de Clubes Fifa Uefa clubes europeus gestão calendário mercado futebol