Na última semana, dois tradicionais clubes do Brasil resolveram lançar planos populares para seus torcedores, com direito a entrada direta para os jogos, sem necessidade de compra do ingresso. Com planos e valores distintos, Ponte Preta, da Série A do Brasileirão, e Vila Nova, da Série B, apostaram nessa linha de venda.

O valor mais em conta ficou com o time de Goiás. Por R$ 20, o torcedor terá direito de ser sócio e frequentar as arquibancadas do time. No entanto, o plano é focado no “torcedor de baixa renda” e terá número limitado de mil inscrições de novos associados

Para conseguir o plano popular, o torcedor tem que mostrar um comprovante de renda que aponte ganhos de até dois salários mínimos. Como é um plano mais em conta, o único benefício será a entrada no estádio, sem direito a descontos nas redes de parceiros e sem participar de ações do programa de sócio-torcedor do clube.

Já a Ponte Preta alegou ter lançado “a menor mensalidade do Brasil”, ainda que o valor seja o dobro do que é proposto pelo próprio Vila Nova. Por R$ 40 ao mês, o sócio do clube campineiro terá direito a ver todos os jogos do time no Campeonato Brasileiro.

O maior atrativo é o preço do ingresso para o torneio. Quem não for sócio terá que pagar R$ 50 ou R$ 100 pelo tíquete no mesmo setor, mais do que a mensalidade.

Lançamento de planos populares para sócio-torcedor foi comum nos últimos anos. Em São Paulo, por exemplo, as três equipes mais famosas da cidade apostaram na modalidade, com mensalidades que ficam em torno de R$ 10. A diferença, nesses casos, é que não há garantia de ingressos. Normalmente, o torcedor tem apenas a preferência na compra e desconto no valor cheio do tíquete.


Notícia Ponte Preta Vila Nova Marketing