O acordo entre CBF e SportPromotion pode não sair do papel. Após anunciar a agência como vencedora do processo de concorrência para a venda de placas do Brasileirão, alguns clubes ameaçam não assinar com a empresa.

Segundo apurou o jornal Folha de S.Paulo, o Athletico Paranaense já decidiu que não irá assinar com a SportPromotion. O Grêmio também informou que deverá repensar o acordo. Os dois sairiam então da lista de 18 times que deixaram a CBF negociar pelos clubes da Série A.

A principal reclamação é a diferença nos valores que envolvem Corinthians e Flamengo, que decidiram fechar contrato com a SportPromotion de forma individual. As duas equipes acertaram um contrato de R$ 12 milhões anuais pela propriedade. Pelo acordo em conjunto, as outras equipes deveriam receber cerca de R$ 3 milhões da agência.

A situação foi agravada pelo fato de a própria Folha de S.Paulo ter revelado que já havia recebido antecipadamente o resultado da concorrência realizada pela CBF. O jornal registrou em cartório a informação, no dia 31 de janeiro, mesma data em que a entidade recebeu as propostas das agências interessadas na propriedade.

O plano da SportPromotion era ter direito às placas do Brasileirão e fazer ações em campo com os patrocinadores por meio de acordos fechados com os times do torneio.

A agência e a CBF negam qualquer irregularidade no processo de concorrência para gerir a venda das placas.


Notícia CBF SportPromotion Gestão