A CBF apresentou aos clubes, nesta sexta-feira (22), as propostas para valorizar o Brasileirão. A principal medida, a implementação do árbitro de vídeo, o VAR, foi aceita. As equipes, por outro lado, recusaram o limite para trocas de técnicos.

A proposta da CBF era mirava um maior planejamento entre os times em longo prazo, com o limite de apenas uma troca de técnico ao longo do torneio nacional. A maioria das equipes não concordou com a sugestão.

O VAR, por outro lado, foi aceito por unanimidade. Há um ano, alguns clubes recusaram a proposta pelo alto custo que o sistema geraria às equipes. Desta vez, a CBF arcará com a maioria dos gastos.

Outra medida que foi alterada foi o limite de inscrições de atletas. A CBF queria que os clubes usassem no máximo 40 jogadores, mas as equipes aumentaram o número para 45, com a entrada de profissionais sub-20.

Além do VAR, no encontro dos clubes foi definido também a disputa da Supercopa do Brasil, um duelo único entre o campeão brasileiro e o campeão da Copa do Brasil, no início de cada temporada.


Notícia CBF Brasileirão Gestão