O Campeonato Brasileiro tem um novo parceiro para a captação e gestão dos patrocinadores. A CBF acertou um contrato de cinco anos com a agência SportPromotion International, um consórcio formado pela SportPromotion, do Brasil, com a Ecotonian, fundo de investimento inglês. A empresa fará a venda de placas publicitárias para a entidade.

O ponto central é alavancar as receitas do torneio e dos clubes com a disputa. Segundo a agência, os jogos do Brasileirão geram US$ 250 milhões (cerca de R$ 950 milhões) no chamado "matchday", que envolve todas as propriedades das arenas durante as partidas. Com a novas ações, o objetivo é subir esse número.

A quantia parece alta, mas coloca o Brasileirão na décima posição entre as principais ligas nacionais do mundo. O torneio, no entanto, está no maior mercado de futebol fora da Europa, atrás apenas das cinco principais disputas do Velho Continente (Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália e França). No mercado global, as receitas das ligas nos "matchdays" geram US$ 50 bilhões todos os anos.

"A proposta escolhida pelos clubes estabelece um novo patamar na relação entre marcas e propriedades esportivas, uma parceria com o claro objetivo de alterar o cenário do marketing esportivo nacional", afirmou a agência, em nota.

Com a medida, o Brasileirão se torna mais um torneio "terceirizado" pela CBF. A medida já acontece com a Copa do Brasil, em que a Klefer faz a gestão dos patrocínios e das propriedades comerciais da disputa.

Outros produtos da CBF já contam com a parceria com a SportPromotion. Atualmente, as Séries B, C e D do Campeonato Brasileiro contam com a gestão da agência, que comercializa painéis de LED, placas de campo, ações promocionais e direitos de televisão. O Brasileirão Feminino também conta com a companhia.


Notícia Sport Promotion International CBF Brasileirão Gestão