A CBF será patrocinada pela montadora Fiat pelos próximos quatro anos. O anúncio do patrocínio está sendo feito neste instante na sede da entidade.

"A camisa amarela da seleção é reconhecida em qualquer lugar do mundo, assim como a logomarca e os modelos de veículos que compõem o grupo de empresas da montadora", afirmou, em discurso inaugural, Rogério Caboclo, que no próximo mês assumirá a presidência da CBF.

O acerto marca o retorno da Fiat a grandes patrocínios no futebol. A marca, que no ano passado fez acordos de curta duração com América-MG, Atlético-MG e Cruzeiro, agora volta a investir de forma mais pesada no esporte. A empresa já estava na camisa dos clubes mineiros até o final do ano.

"Eu acho que muitos de vocês reconhecem que talvez sejamos a fabricante de carros mais brasileira do Brasil. Somos um time de 26 mil colegas brasileiras e brasileiros com quem orgulhosamente trabalhamos todo dia. E queremos nos associar a um time vencedor. Não tem nada mais vencedor do que a seleção brasileira de futebol, cinco vezes campeã do mundo, infelizmente duas delas contra a Itália", afirmou, arrancando risos, Antonio Filosa, italiano que é presidente da Fiat na América Latina.

O acordo prevê o patrocínio não apenas à seleção principal masculina, mas a todas as seleções brasileiras.

Edu Gaspar (esq.), Antonio Filosa, Rogério Caboclo e Tite anunciam acordo Fiat e CBF (Foto: Máquina do Esporte)

"Além da seleção principal masculina, temos o prazer de nos associar a todas as seleções. De base, olímpica e feminina. Estaremos nos próximos quatro anos e quem sabe muito mais celebrando vitórias juntos", completou Filosa.

Com o patrocínio firmado, a CBF chega a seu 11° parceiro comercial e, também, coloca fim a quase dois anos sem a parceria de uma montadora de automóveis, desde a saída da Chevrolet, em 2017. A Fiat fará sua estreia já nos dois amistosos que a seleção brasileira fará no final deste mês, contra República Tcheca e Panamá.

* O repórter viajou a convite da Fiat


Notícia Patrocínio CBF Fiat