A Copa das Nações Africanas de 2019 não será mais em Camarões. A decisão foi tomada pela Confederação Africana de Futebol (CAF), que considerou que o país, a sete meses da competição, não cumpriu as exigências de infraestrutura (em especial estádios, hotéis e transportes) e segurança. Por esses motivos, será substituído.

Torcida de Camarões esperava acompanhar luta pelo sexto título do torneio jogando em casa. Foto: Reprodução

Ao fazer a declaração, a CAF admitiu também que, em nenhum momento, cogitou um plano B, pois esperava que tudo desse certo com um dos mais tradicionais países africanos quando o assunto é futebol. Assim, já começou uma espécie de luta contra o tempo para arranjar outro anfitrião para o torneio, que está marcado para junho do ano que vem.

De acordo com o site britânico SportsPro Media, África do Sul e Marrocos despontam como favoritos na briga para sediar o maior campeonato de futebol do continente.

Pelos lados sul-africanos, o presidente da Associação de Futebol da África do Sul (SAFA), Danny Jordaan, já teria colocado o país como candidato, apesar de ter declarado que a decisão final caberá ao governo. Vale lembrar que a África do sul é o único país do continente a sediar uma Copa do Mundo até hoje, em 2010, e também foi a anfitriã de uma Copa das Nações Africanas recentemente, em 2013, quando a Líbia desistiu.

Já o Marrocos tentará mais uma vez sediar um grande evento de futebol. O país vem tentando abocanhar uma Copa do Mundo de maneira sucessiva, mas nunca obteve êxito. A última derrota foi para a candidatura tripla formada por Estados Unidos, Canadá e México, na disputa para ser sede do Mundial de 2026.

Pouco depois de perder para os países da América, os marroquinos já começaram a se mexer e tentam formalizar uma candidatura tripla para a Copa de 2030, ao lado de Espanha e Portugal, no que seria a primeira candidatura de países de continentes diferentes da história dos Mundiais.

Vale lembrar, no entanto, que o Marrocos havia ganhado a briga para sediar a Copa das Nações Africanas em 2015, porém perdeu esse direito por pedir um adiamento do torneio à época em virtude de uma epidemia do vírus ebola. A competição acabou sendo disputada na Guiné Equatorial.

A imprensa do continente chegou a especular o Egito como possível sede, mas o país já negou essa possibilidade. A CAF, por sua vez, já deixou claro que poucos países têm condições de receber a Copa das Nações Africanas de 2019. O motivo principal é que, pela primeira vez, o torneio será disputado por 24 países, o que demanda maior infraestrutura de um modo geral.

Assim, resta saber se a entidade vai considerar que África do Sul ou Marrocos são capazes de comprovar as exigências em tão pouco tempo.


Notícia Copa das Nações Africanas Camarões Marrocos África do Sul infraestrutura segurança marketing visibilidade exposição