Um evento realizado no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro, em São Paulo, oficializou a continuação da Caixa como patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). A Caixa assinou um termo de compromisso com o CPB, pelo qual o local da reunião passará a ser chamado de Centro Paralímpico Brasileiro Caixa e terá como principal objetivo a inclusão social de pessoas com deficiência (PcD) por meio de atividades esportivas, culturais e educativas.

No evento, estiveram presentes o presidente da República, Jair Bolsonaro, o governador de São Paulo, João Doria, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, e o presidente do CPB, Mizael Conrado. A nova parceria com o CPB integra as ações da CAIXA como o Banco da Inclusão, "que se propõe a criar oportunidades para todos os brasileiros, estimulando a inclusão e a cidadania, sem distinção".

Dentro dessa estratégia, a Caixa planeja abrir centros de inclusão por todo o país. Além de atividades esportivas, os centros vão oferecer palestras, oficinas para iniciação cultural, e educação financeira e ambiental, entre outras atividades de inclusão e integração social.

Em relação ao Centro Paralímpico Brasileiro Caixa especificamente, a ideia é realizar a iniciação anual de 550 crianças PcD de 10 a 17 anos e que sejam alunas das redes públicas municipal e estadual. Ao todo, serão oito modalidades esportivas oferecidas: atletismo, natação, judô, futebol de 5, vôlei sentado, bocha, goalball e tênis de mesa.

De acordo com a Caixa, no projeto, as crianças receberão todo o material esportivo necessário para as atividades, assim como lanches e transporte adequado, e ainda terão a presença de professores e estagiários qualificados. O projeto ainda atenderá adultos e idosos, além de funcionários da Caixa com deficiência.

Foto: Reprodução / Twitter (@cpboficial)

"Reforçamos o posicionamento da Caixa como o Banco da Inclusão e o seu interesse em fortalecer as políticas públicas paradesportivas como instrumento de inclusão social", disse Pedro Guimarães.

"Esse projeto representa um incentivo extraordinário, no valor de R$ 10 milhões, para o Centro Paralímpico Brasileiro. É um investimento para o Brasil", afirmou João Doria.

"Este momento é ímpar, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, me garantiu que projetos de iniciação esportiva como o que é desenvolvido aqui em São Paulo serão replicados em todo o Brasil", declarou Jair Bolsonaro.

"O esporte é a garantia da inclusão e da cidadania para este grupo importante para a sociedade, que são as pessoas com deficiência. Mais que um espaço para o alto rendimento, o Centro de Treinamento tem se transformado em uma casa de inclusão, porque o CT é a base das Paralimpíadas Escolares, maior evento do mundo para crianças com deficiência, e é a base também da capacitação de profissionais de educação física. Celebramos hoje a ampliação da nossa parceria com a Caixa”, destacou Mizael Conrado. 

Com o acordo, o CPB se torna uma espécie de sobrevivente entre os antigos parceiros da Caixa. No início deste ano, o governo federal retirou a participação do banco estatal de diversos patrocínios esportivos, em especial os times de futebol. Diversos clubes perderam o patrocínio da empresa, que só manteve até agora os contratos que já estavam em vigor, como Liga Nacional de Basquete (LNB) e Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

LEIA MAIS: Em 2019, futebol terá de pensar fora da Caixa

Ao todo, eram cerca de R$ 200 milhões no futebol, além de corrida de rua e outras entidades e eventos esportivos. Até o momento, o CPB é o único que teve o patrocínio renovado.


Notícia Caixa CPB Comitê Paralímpico Brasileiro patrocínio naming rights mercado marketing esporte paralímpico