A Disney não poderá manter o Fox Sports no Brasil. A decisão será anunciada e detalhada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) nesta quarta-feira (27), segundo adiantou o portal "Uol". A entidade entende que a manutenção do canal esportivo junto à ESPN se configuraria em monopólio do grupo de mídia no país.

LEIA MAIS: Análise: Falta de comprador é o desafio da Fox

A decisão da Disney será, então, vender o canal esportivo. Qualquer grupo de mídia poderá comprar o Fox Sports, com seus principais produtos, no Brasil. A única exceção é a Globo, pelo mesmo motivo que a fusão entre Fox Sports e ESPN não poderá acontecer; a empresa teria uma fatia grande demais no mercado.

O processo de venda, no entanto, não deverá ser simples. Segundo a Máquina do Esporte apurou, não há, até o momento, uma empresa interessada na compra. Por contrato, a ESPN não poderá absorver o principal produto do Fox Sports para o mercado nacional, a Libertadores. A emissora detinha desde 2012 e até o ano passado os direitos exclusivos em TV por assinatura do torneio e os repassava para o SporTV.

Recentemente, o contrato foi renovado para até o fim da temporada de 2022. Não está claro por ora o que aconteceria com o torneio caso nenhum grupo de mídia tenha interesse em comprar o Fox Sports.

Segundo o "Uol", parte da estrutura e dos profissionais do Fox Sports serão transferidos para a ESPN, que deverá ganhar força no mercado brasileiro. A compra da Fox pela Disney aconteceu no fim de 2017, em uma operação de mais de US$ 50 bilhões. O foco, tanto nos Estados Unidos quanto globalmente, está nos produtos de entretenimento; o esporte não tem sido tratado com prioridade. A ESPN pertence à Disney desde 1995.


Notícia Mídia ESPN FOX Sports Disney