Os Correios estão cada vez mais longe do esporte. Após reduções nos patrocínios nos últimos anos, a companhia estatal não renovará uma parceria que já durava mais de dez anos com a Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

Foto: Reprodução

A informação foi divulgada pelo Blog Olhar Olímpico, do UOL, e confirmada pela confederação. O último contrato era válido até novembro, e a renovação não aconteceu.

No início da parceria, com maior apoio público aos esportes olímpicos, os Correios pagavam R$ 8 milhões ao ano para a confederação. No entanto, em 2016, houve uma redução em todos os aportes da empresa. O tênis ficou com R$ 2 milhões da companhia brasileira.

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) também já sofreu com reduções no aporte e hoje negocia a renovação. Em 2017, após escândalos na entidade, os Correios ameaçaram romper o contrato.

Atualmente, outras duas confederações mantêm o aporte dos Correios. No handebol, no entanto, o acordo termina no fim deste mês. Em 2018, a empresa também fechou uma parceria com a entidade que administra o rúgbi.

O movimento dos Correios deverá ser o mesmo de todas as empresas estatais neste ano, com forte redução nos investimentos em patrocínio esportivo. A Caixa, companhia que mais investiu na última década, tem sido o maior exemplo, com massiva saída dos clubes de futebol.


Notícia Correios CBT tênis contrato término patrocínio empresa estatal Caixa