Faltando poucos dias para o início da Copa do Mundo, a Budweiser deixa cada vez mais claro qual será seu foco no período: a marca está voltada para ativações que visam o público premium. A “Bud Mansion”, ou Mansão da Bud, que teve uma estreia tímida durante a Copa das Confederações, retorna com uma estrutura muito maior. “A intenção é reunir pessoas, realizar um evento premium, oferecer tratamento VIP”, conta André Clemente, gerente de eventos da empresa.

Leia mais:

No Brasil, Ambev deixa Bud em 'segundo plano' na Copa

Serão cinco “mansões” espalhadas pelo país, em cinco cidades-sede: São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e Recife. Durante 32 dias, quem não for aos estádios e quiser assistir aos jogos em telões ao som de muita música, com campeonatos de Playstation, festas temáticas e até um cinema ao ar livre, terá que desembolsar um valor entre R$ 170 e R$ 250, com direito a open bar. “É como aquele amigo rico que convida para essa festa incrível”, exemplifica Clemente.

Patrocinadora da Copa do Mundo, a Budweiser aproveitou para fechar algumas parcerias com outras marcas para realizar a ativação. “Em alguns lugares, a Sony forneceu os televisores, os Playstations. Tem a Hyundai e a Oi, que também são parceiras”, afirma o gerente de eventos.

Nas outras cidades, as “Arenas Bud” – festas menores dentro de bares parceiros da marca – transmitirão os jogos do Brasil (estabelecimentos em Brasília, Fortaleza, Natal, Rio de Janeiro e Curitiba vão receber o evento).

Em outra frente e ainda visando o público premium, a marca de cervejas também fechou parceria com a rede de restaurantes Outback Steakhouse. Os prêmios vão de raspadinhas até ingressos para assistir a um jogo das quartas de final, em Fortaleza, com direito a visita aos vestiários e entrega da taça de melhor jogador da partida ao atleta vencedor. “Estamos preparando muita coisa. Vamos oferecer a melhor opção para quem não vai aos estádios”, conclui Clemente.


Notícia Copa do Mundo futebol Copa 2014 Budweiser Patrocínio