O Bahia decidiu fazer mais uma ação de impacto social para chamar a atenção para preconceitos enraizados no futebol. O clube aproveitou também para fazer uma homenagem ao ex-jogador de basquete Kobe Bryant, morto no último domingo (26) em um acidente de helicóptero.

Por meio de um vídeo em suas redes sociais, o Bahia intercalou imagens de sua torcida com a de um processo de estampamento do número da camisa de jogo da equipe e frases para comunicar a iniciativa.

"Hoje, o Bahia vai entrar diferente em campo. Parece só um detalhe, mas tem um significado grandioso", diz o texto que, ao revelar o número 24 às costas do uniforme, finaliza o vídeo de 33 segundos com a expressão #númerodorespeito.

A ação é uma espécie de resposta do clube a uma expressão usada há alguns dias por Duílio Monteiro Alves, diretor de futebol do Corinthians. O dirigente disse "24 aqui, não", para dizer que o jogador Cantillo não usaria esse número, em uma brincadeira alusiva à associação do 24 com o personagem do veado no "jogo do bicho". Alves depois foi a público pedir desculpas pelo uso da expressão homofóbica.

Em suas redes sociais, o Bahia foi direto ao ponto ao anunciar a iniciativa. "Número proibido? Número de respeito" foi a legenda usada pelo clube para anunciar a iniciativa. Além de chamar a atenção contra a homofobia, o clube também reverenciou Kobe Bryant, que usou durante boa parte de sua carreira a camisa 24. O jogador Flávio, do time baiano, usou o 24 durante a vitória por 2 a 0 sobre o Imperatriz, nesta terça-feira (28), pela segunda rodada da fase de grupos da Copa do Nordeste.

Foto: Reprodução / Twitter (@ECBahia)


Notícia Bahia número 24 homofobia ação social ação marketing Flávio Corinthians Kobe Bryant