A Federação Australiana de Futebol (FFA, na sigla em inglês) chegou a um acordo que vai assegurar a divisão por igual da receita da entidade entre homens e mulheres. O acordo, histórico, assegura que 40% do que for arrecadado com patrocínio, bilheteria e direitos de mídia no futebol australiano irá igualmente para os times masculino (Socceroos) e feminino (Matildas).

A assinatura da igualdade de direitos foi garantida após uma série de reuniões entre a FAF e o órgão dos atletas profissionais de futebol do país, o Professional Footballers Australia (PFA). O negócio já passará a valer no próximo sábado (9), quando as Matildas jogarão um amistoso contra o Chile. Três dias depois, as duas seleções voltarão a se encontrar em nova partida amistosa.

Foto: Reprodução / Twitter (@FFA)

O acordo é mais uma vitória para o futebol feminino. Há algumas semanas, a Fifa já havia divulgado que dobrará a premiação distribuída na Copa do Mundo Feminina de 2023 em relação à desse ano e chegará a US$ 60 milhões. Ainda assim, o valor ficará bem abaixo do que será distribuído na Copa do Mundo Masculina do Qatar em 2022 (US$ 440 milhões).

Vale lembrar que, no último mês de julho, a FFA anunciou que estava deixando o controle das competições domésticas de clubes masculinos e femininos, abrindo caminho para criar duas organizações separadas e oferecer, assim, um maior controle da liga sobre acordos de direitos e distribuição de receitas.

Desde então, a Australian Broadcasting Corporation (ABC) assinou um contrato de direitos de dois anos, que garante as transmissões da A-League e da W-League, competições profissionais de clubes masculinos e femininos do futebol australiano, respectivamente, além de partidas dos Socceroos e das Matildas, na TV aberta do país.


Notícia Austrália futebol homens mulheres masculino feminino igualdade receita faturamento mídia patrocínio bilheteria mercado