O Arsenal revelou, nesta segunda-feira (9), os números do clube na temporada 2018/2019, encerrada em maio deste ano. Após obter um lucro de £ 97,4 milhões em 2017/2018, os Gunners tiveram que amargar um prejuízo de £ 21,1 milhões na temporada passada. A receita total caiu de £ 388,6 milhões para £ 367,5 milhões.

De acordo com o próprio clube londrino, os motivos para a queda financeira foram diversos. Três, no entanto, foram salientados para o impacto negativo: em primeiro lugar, a ausência da equipe na Champions League de 2018/2019. Para se ter uma ideia, mesmo disputando a Europa League e chegando à final (com derrota para o rival Chelsea), o Arsenal ganhou muito menos do que ganharia se tivesse disputado e, principalmente, se tivesse ido longe na Champions.

Foto: Reprodução / Twitter (@Arsenal)

O segundo motivo principal para o prejuízo financeiro foi a queda nas receitas vindas de transferências de jogadores, que caiu de £ 122,3 milhões para "apenas" £ 16,8 milhões. O valor ficou longe até da média das últimas cinco temporadas, incluindo-se aí a atual, que ficou em £ 34 milhões.  

Por último, houve também uma grande diminuição nas receitas provenientes de ingressos vendidos para os jogos do clube, apesar do número de bilhetes comercializados por partida ter aumentado em cerca de 900 entradas. O Arsenal atribui isso à terceirização das vendas e "menores recebimentos de taxas de comparecimento de uma subsidiária". De acordo com o site britânico SportsPro Media, isso sugere que a subsidiária deve manter uma certa quantia em dinheiro antes de distribuir o dinheiro de cada ingresso ao clube.

Para piorar, os Gunners atravessam uma das piores fases de sua história dentro de campo. O clube está sem vencer há nove jogos, algo que não acontecia desde 1977. Atualmente na 11ª posição na tabela da Premier League e apenas quatro pontos acima da zona de rebaixamento, o Arsenal terá mais uma chance de acabar com a péssima fase nesta segunda-feira (9), diante do West Ham, fora de casa, pelo encerramento da 16ª rodada.


Notícia Arsenal prejuízo receitas gestão ingressos transferências mercado Champions League