Um dia após anunciar acordos de patrocínio com as duas maiores ligas de futebol do mundo, a britânica Premier League e a espanhola LaLiga, a Budweiser deu mais um passo em sua estratégia de conquistar o mercado europeu. A marca de cerveja americana fechou com o Ajax, sensação do continente na última temporada, até o final da temporada 2024/2025.

Os valores oficiais do contrato não foram revelados, mas o jornal holandês De Telegraaf noticiou que o clube receberá pouco mais de € 12 milhões nos seis anos de duração da parceria com a cerveja que faz parte do grupo Anheuser-Busch InBev (AB InBev).

Foto: Reprodução / Site (ajax.nl)

"Durante as discussões com a AB InBev, chegamos logo à conclusão de que Ajax e Bud têm muitos valores semelhantes. O fato de uma marca de renome como a Bud estar comprometida conosco por muito tempo oferece muitas novas oportunidades. Depois que já estendemos a colaboração com a Adidas e a Ziggo por um longo período, esse contrato aprimorado também é uma confirmação de que acreditamos em parcerias sustentáveis", comemorou Menno Geelen, diretor comercial do Ajax.

O contrato abrange as equipes masculinas e femininas do atual campeão holandês e aumenta o já extenso portfólio da Budweiser, que quer aumentar sua força no mercado europeu, mas também não esquece de "casa". No início do mês, a marca anunciou a extensão do patrocínio à Liga Nacional Feminina de Futebol (NWSL, na sigla em inglês). A cerveja também é parceira de longa data das Copas do Mundo da Fifa.

"O Ajax é conhecido mundialmente como sinônimo de talento e criatividade. É um time que tenta realizar os sonhos dos amantes do futebol, o que é próximo aos valores de marca da Bud. Com isso e a escolha da Budweiser de apoiar, por exemplo, o futebol feminino nos Estados Unidos, tanto no nível internacional como no de clubes, mostramos que buscamos valores fora do campo, e vamos atrás de clubes e ligas com essa ambição", resumiu Nicolas Bartholomeeusen, diretor da AB InBev Holanda.


Notícia Ajax Budweiser cerveja patrocínio marketing estratégia mercado europeu