Rosenberg na apresentação do patrocínio da Poty (Foto: Agência Corinthians)

O economista Luís Paulo Rosenberg não é mais diretor de marketing do Corinthians. O clube lançou nota oficial nesta segunda-feira (25) para confirmar o desligamento do dirigente. Provisoriamente, o presidente do time, Andrés Sanchez, ficará na gestão da pasta.

Rosenberg deixa o cargo após uma sucessão de polêmicas. Na ultima delas, o executivo comparou a dificuldade da venda dos naming rights da Arena Corinthians com uma mulher com Aids.   

"Eles (executivos interessados no patrocínio) se sentem na situação de estar vendo a esposa perfeita, com dotes culinários, formada com MBA no exterior, uma mãe de filhos maravilhosos, mas parece que tem um teste de Aids positivo. Como é que eu encaixo a camisinha é o grande desafio", afirmou Rosenberg, em entrevista à ESPN.

A frase teve má repercussão nos bastidores do Corinthians, com protestos de grupos de oposição pela comparação considerada de mau gosto e machista. Rosenberg pediu desculpas publicamente após a declaração.

Antes, Rosenberg teve que lidar com a campanha "Corinthianismo", lançada recentemente. A comunicação que compara o torcer pelo time paulista a uma religião não foi uma unanimidade.

Neste ano, Rosenberg também teve que lidar com críticas em relação aos valores do patrocínio máster do BMG. Na apresentação do aporte, o dirigente havia dado a entender um contrato de R$ 30 milhões anuais. O acordo, no entanto, é fixado em R$ 12 milhões anuais com o acréscimo de royalties na venda de produtos do banco com a marca do clube.

Esta foi a segunda passagem de Rosenberg pelo marketing corintiano. Em 2008, o economista esteve por trás da reformulação do time após o rebaixamento à Série B. No ano seguinte, ficou em destaque ao arquitetar a vinda de Ronaldo ao clube, com uma parceria com o grupo Hypermarcas.  


Notícia Corinthians Marketing Gestão