A Supercopa da Espanha, decidida entre o campeão da LaLiga e o campeão da Copa del Rey, pode ser disputada fora da Espanha mais uma vez. A Federação Espanhola de Futebol (RFEF) está estudando propostas de China, Qatar e Estados Unidos, segundo a rádio espanhola Cadena COPE.

Ainda de acordo com a rádio, a oferta americana tem como idealizadora a Relevent Sports, mesma empresa por trás do projeto de levar jogos da LaLiga para os Estados Unidos e que assinou com a entidade espanhola que organiza o campeonato um contrato de 15 anos.

Foto: Reprodução / Twitter (@FCBarcelona)

A Relevent teria feito uma proposta de levar a final da Supercopa da Espanha para território americano pelos próximos cinco anos, mas foi prontamente rejeitada pela RFEF. Ao que parece, a federação cogita fazer a partida nos EUA apenas um ano, o que daria a entender que a entidade pensa até em um rodízio de países para a final.

No momento, segundo a rádio espanhola, China e Qatar estariam um passo à frente por conta de propostas financeiras mais vantajosas.

Em 2018, principalmente por conta de lucro e do calendário, a partida entre Barcelona e Sevilla, vencida pelo Barça por 2 a 1, foi jogada no Marrocos. Foi a primeira vez na história da Supercopa da Espanha que o título foi decidido fora do território espanhol.

Como houve sucesso de público e audiência, a RFEF começou a cogitar manter a ideia, que já é usada há muito tempo na Itália, por exemplo. Para se ter uma ideia, Estados Unidos, Líbia, China e Qatar já receberam a decisão em jogo único da Supercopa da Itália, o que comprova que há mercado e também retorno financeiro para a ideia.


Notícia Supercopa Espanha RFEF federação.marketing lucro mercado estratégia calendário