Enquanto tenta tirar a Fórmula 1 de São Paulo a partir de 2021, o Rio de Janeiro foi anunciado, nesta quinta-feira (10), como a sede do GP Brasil de MotoGP, que voltará ao calendário da principal categoria de motociclismo do mundo a partir de 2022. A divulgação oficial foi feita pelas redes sociais da MotoGP.

A etapa brasileira será realizada no circuito Rio Motorpark, na região de Deodoro, que foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro em maio deste ano, mas ainda não começou a ser construído. É lá, inclusive, que o Rio de Janeiro espera começar a receber a F1 em 2021. O contrato com a MotoGP foi assinado por cinco anos.

Com a notícia, a categoria terá seu retorno garantido ao Brasil após 18 anos. A última vez que o país recebeu uma etapa da MotoGP foi em 2004, no extinto Autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, palco da prova desde 1995. Antes, a etapa brasileira já havia sido realizada em Goiânia, de 1987 a 1989, e São Paulo, no Autódromo de Interlagos, em 1992.

"A construção da pista de Deodoro é um projeto espetacular, com um investimento extraordinário que irá gerar 7 mil empregos e fará o Rio recuperar o papel de liderança em grandes competições. Vamos levar o desenvolvimento para uma região da cidade com muitas necessidades, que é a Zona Oeste, e estimular o turismo. Tudo isso sem a cidade colocar um centavo no projeto, já que todo o investimento será de responsabilidade da concessionária. As notícias de que já temos uma primeira competição para a nova pista de corridas do Rio, com a MotoGP, confirmada para 2022, representam um grande avanço para a nossa cidade", comentou Marcelo Crivella, prefeito da capital fluminense.

O futuro circuito Rio Motorpark, na região de Deodoro (Foto: Reprodução / Twitter (@MotoGP))


Notícia MotoGP Rio de Janeiro Rio Motorpark mercado brasileiro marketing gestão calendário motociclismo