O recorde absoluto do Fox Sports na transmissão da Libertadores mostra duas coisas fundamentais para a televisão atualmente: evento ao vivo e exclusivo, e a necessidade de promoção para engajar a audiência.

LEIA MAIS: Fox alcança 3 milhões e "detona" recorde com Palmeiras x Grêmio

O Fox Sports não inventou a roda. Pelo contrário. O canal só voltou a fazer algo que foi a base da criação de uma cultura poliesportiva no Brasil na década de 1980. O que foi feito nessa última semana para "esquentar" o duelo entre Grêmio e Palmeiras era o pilar que sustentava todo o trabalho da Bandeirantes quando era "O Canal do Esporte". 

As transmissões do domingo esportivo da Band começavam logo cedo. Elia Júnior e Silvia Vinhas se dividiam no comando de uma bancada que ficava quase 10h ao vivo mostrando esporte para tudo e para todos. Depois, nos deliciávamos com as narrações de Silvio Luiz e Luciano do Valle, com as reportagens e comentários. E, durante a semana, já nos preparávamos para receber a enxurrada de eventos do domingo. Graças, claro, à programação da Band, que nos dizia o que estava por vir.

O surgimento da TV paga mudou essa realidade ao segmentar o público. Antes, só havia o domingo para ter o "Show do Esporte". Nos outros dias, tínhamos de dividir o vôlei, o basquete, o atletismo e o futebol com coisas menos importantes. 

Isso gerou um fenômeno interessante no mercado de mídia brasileiro. Perdemos a nossa capacidade de usar o conteúdo para promover o evento que a mídia exibe.
A chave do sucesso do esporte dentro da Bandeirantes nos anos 1980 foi enxertar dentro de toda a programação da emissora a temática do esporte. Quando a Band perdeu espaço para a Globo na aquisição dos direitos e para a TV paga na conversa com o nicho do fã de esporte, perdemos o costume de promover o esporte na mídia.

Agora, o que o Fox Sports fez foi retomar esse conceito. Com a necessidade de promover a única atração principal que o canal tinha, a solução foi direcionar tudo para Grêmio x Palmeiras e Palmeiras x Grêmio.

Essa volta ao passado da mídia brasileira também mostra um pouco o caminho que existe para se trabalhar o futuro das transmissões. A tendência é termos cada vez mais canais com menos produtos, mas exclusivos. Isso os obrigará a trabalhar para promover a transmissão e engajar o torcedor. É algo que o Esporte Interativo soube fazer muito bem com a Liga dos Campeões. E que, agora, o Fox Sports também fez com maestria na Libertadores. Finalmente voltamos a trabalhar o conceito que fez nascer o "Show do Esporte". O torcedor agradece.


Notícia Show do Esporte Band Fox Sports Libertadores Grêmio Palmeiras TV paga televisão estratégia esporte mídia mercado gestão