A cada dia que passa, Neymar parece estar mais envolto em polêmicas e mais distante do esporte. Com 26 anos de idade, o jogador mais caro da história do futebol precisa tomar uma decisão importante: o que quer de sua carreira? Dinheiro, claro, não parece mais um problema para o atleta. Agora, ele precisa definir o que vem depois.

A impressão que existe é de um jogador mal assessorado. Nesta semana, a ideia ficou mais lustrosa com as novas polêmicas. Após as críticas do ex-jogador Casagrande, o pai do atleta fez um texto agressivo em uma rede social, deixando claro como é a reação a opiniões pouco bajuladoras.

Antes, o Uol havia publicado que a CBF e a Ambev tinham entrado com processo contra a Proibida pelo uso das cinco estrelas em comercial com Neymar. Com o acordo com uma marca de cerveja que não está entre as duas gigantes do segmento, o atleta do Paris Saint-Germain viu seu nome em uma acusação de emboscada, algo um tanto embaraçoso para o mercado em um ano de Copa do Mundo.

O estranho é que, no início da carreira, Neymar dava demonstrações de seriedade na gestão de sua imagem. Ainda que não estivesse longe das polêmicas, o atleta se empenhou em melhorar seu porte, aparência e dicção para fomentar a condição de ídolo nacional e se aproximar do mercado. Ao longo dos anos, foram diversas agências que apostaram no jogador.

Ninguém nega a capacidade técnica do brasileiro e poucos duvidam de seu potencial para chegar ao posto de melhor jogador do mundo. Mas, nessa altura de sua vida, passou do tempo de Neymar ser um pouco mais centrado no campo e com uma relação mais saudável fora das quatro linhas.


Notícia Neymar PSG Gestão