A Amstel lançou na quinta-feira a primeira campanha publicitária com a Libertadores de fundo. E a marca da Heineken resolveu exaltar as particularidades do torneio sul-americano, em detrimento do espírito europeu, mais elitizado, de assistir ao futebol.

“Isso daqui não é um torneio europeu”, avisa o narrador. “É tudo mais barulhento, mais colorido. E os jogadores dão a vida em campo”. O vídeo roda imagens características do torneio, desde os bandeirões até os jogadores recebendo oxigênio em campo, cena comum nas partidas realizadas na altitude da Cordilheira dos Andes.

O vídeo será divulgado na televisão aberta e fechada, além de mídia exterior em diversas capitais do Brasil. A campanha terá a assinatura “Na Libertadores, vai de Amstel que não tem erro”.

Ao longo da última década, a Heineken ampliou a identificação com a Liga dos Campeões graças a diversas campanhas e ativações. A Amstel, marca do grupo, irá reforçar a ideia de que a empresa está conhecendo o público sul-americano. Por isso, a narração da campanha é o recado de um torcedor para a empresa.

“Apostamos muito no campeonato para reforçar a construção da marca no Brasil, que foi muito receptivo com a Amstel. Até 2020, vamos ter muita história para contar. Como este é o primeiro ano de patrocínio, nada mais justo que aprender com os fãs”, comentou o diretor de marcas da Heineken, Eduardo Picarelli, em nota.

Além da campanha, a Amstel terá uma embalagem personalizada com o logotipo da Libertadores. As latas do torneio passarão a ser distribuídas neste mês em alguns mercados, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

A marca de cerveja, é verdade, demorou para fazer uma grande ação com a Libertadores. O contrato com a Conmebol foi assinado em março deste ano, em acordo válido pelos próximos quatro anos.

A Heineken apostou na marca Amstel, também holandesa, por entender que ela teria mais espaço no mercado da América Latina. Essa, no entanto, não foi a primeira experiência da empresa com a Libertadores. Entre 2011 e 2012, o grupo usou a Kaiser para fazer aporte ao torneio sul-americano.

Nos últimos meses, a Conmebol tem tentado valorizar o torneio. A disputa ganhou um novo logotipo e passou a ser disputada ao longo dos anos, sem se restringir ao primeiro semestre, como aconteceu nas últimas temporadas.


Notícia Amstel Libertadores Publicidade