A primeira transmissão exclusiva do Prime Video, serviço de streaming da Amazon, no Reino Unido e Irlanda não está saindo exatamente como a gigante do e-commerce mundial queria. Os espectadores do US Open, último Grand Slam de tênis do ano, estão bastante descontentes e vêm inundando as redes sociais de críticas.

Segundo a imprensa americana, 96% das mais de 650 avaliações postadas por assinantes dão à Amazon apenas uma ou duas estrelas. Boa parte das críticas recai sobre a qualidade da imagem e também sobre a qualidade do som.

Foto: Reprodução

Com a classificação tão ruim, novos comentários acabaram sendo bloqueados. Os assinantes começaram a reportar que, quando tentam enviar novas avaliações, recebem uma mensagem com os dizeres “Atualmente, este produto tem limitações no envio de avaliações. Pode haver várias razões para isso, incluindo atividades de revisão incomuns”.

A Amazon se defende das acusações de que não estaria deixando os espectadores criticarem o serviço. Segundo a empresa, trata-se de uma falha de TI que está sendo averiguada.

“Estamos trabalhando com clientes para tratar de questões específicas. Ouvimos todos os comentários dos clientes e estamos sempre trabalhando para melhorar todos os aspectos do nosso serviço”, chegou a afirmar um porta-voz da gigante do e-commerce.

Leia Mais: Análise: Compreender novo meio é tarefa do fã

Vale lembrar que o acordo da Amazon para transmitir o US Open com exclusividade no Reino Unido foi fechado por US$ 40 milhões por cinco anos. A empresa já tem passado a NFL, por exemplo, desde a temporada passada, mas é a quarta principal emissora, atrás de Fox, NBC e CBS.

Para 2019, o Prime Video já tem garantida a cobertura de toda a temporada do circuito da ATP de tênis e também os direitos de transmissão de 20 partidas da Premier League pelas próximas três temporadas. Ambos são direitos exclusivos para o Reino Unido e Irlanda.


Notícia Amazon Prime Video US Open tênis transmissão exclusiva streaming mídia mercado