“Só a megaloja dentro do parque olímpico teve uma média superior a US$ 1 milhão de vendas por dia”

Simon Rider
Foto Simon Rider A despeito de ter formação em direito, Simon Rider sempre atuou no mercado de varejo. Ele começou no segmento em 1982, quando ocupou a gerência da rede H&M no Reino Unido. Rider permaneceu no cargo até 1990, quando assumiu uma diretoria estratégica na Converse. Em 1998, tornou-se CEO da varejista FootLocker na Europa. Em 2003, o executivo assumiu a presidência internacional da Speedo. Ficou no cargo até o ano seguinte, e depois trabalhou como vice-presidente de varejo da Adidas. Depois da passagem pela empresa de material esportivo, o trabalhou de Rider incluiu a consultoria MMH e o comando da The Retail People, empresa criada para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2012. A The Retail People ganhou o direito exclusivo de operar lojas e merchandising nas arenas dos Jogos Olímpicos. No fim deste ano, a empresa deve ser dissolvida.

Número do dia

1,79 bilhões

de reais é a dívida do Corinthians para arcar com a arena; após meses de negociação, time voltou a pagar parcelas do estádio.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Análise: Corinthians e São Paulo deverão sofrer com aportes em 2018
2Diretor diz que Under Armour deixa São Paulo
3McDonald’s acerta com Neymar para ativar Copa do Mundo
4Grêmio terá turbante personalizado no Mundial de Clubes
5Paysandu lança coleção de uniformes em homenagem a seleções campeãs
6Cia do Terno não renova, e Corinthians busca patrocinador máster para 2018
7Cabify usa esporte de novo e acirra disputa de apps
8 Análise: Clubes fazem conta errada na hora de escolher material esportivo
9Análise: Clubes precisam deixar de vender mídia e gerar negócios
10Após alardear "revolução", Sportflix sai do ar