“Vice-presidente da área de licenciamentos da Warner diz que mercado nacional está entre os cinco melhores do mundo”

Salvador Viramontes
Foto Salvador Viramontes Salvador Viramontes é vice-presidente da área de licenciamentos da Warner Bros. Consumer Products da América Latina. O executivo é o responsável pelo desenvolvimento dos negócios da empresa no continente e pelo gerenciamento de todas as principais propriedades da companhia na região, incluindo Looney Tines, Scooby-Doo, Harry Potter, DC Comics e todos os personagens da Hanna-Barbera e Cartoon Network. Viramontes entrou para a Warner Bros. Consumer Products em 1999 e assumiu o posto de gerente geral do escritório do México. Sob seu comando, a empresa teve uma expansão na América Latina e conseguiu aumentar seu portfólio, com as parcerias com a seleção mexicana de futebol, clubes europeus de ponta, América do Méxica, Pucca, além da associação de luta livre mexicana, a Lucha Libre. Antes de ingressar na Warner Bros. Consumer Products, Viramontes trabalhou em empresas como SC Johnson, Quaker, Best Foods e Gillete. O executivose formou em marketing no Instituto Tecnológico de Monterrey, na Cidade do México, e fez MBA na Anderson School of Business na UCLA, nos Estados Unidos.

Número do dia

R$ 1,3 mi

Foi a renda do São Paulo na partida contra o Corinthians; com 51 mil pessoas no Morumbi, time teve seu melhor público no ano.

Autoline

Patrocinado por


Banner

Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Globo apresenta nova divisão de cotas a clubes
2CSM Brasil inaugura camarote de luxo no Allianz Parque
3Uber ativa parceria com Manchester United
4São Paulo x Corinthians dá recorde de audiência à Globo no domingo
5Arena Corinthians aproveita seleção para promover camarotes
6Palmeiras e Botafogo lançam pacotes para acompanhar time na Libertadores
7Tottenham irá jogar em Wembley na próxima temporada
8Ronaldinho Gaúcho conta sua história e dá dicas em e-book
9Anta prepara R$ 1,5 bi para adquirir marcas esportivas
10Análise: F-1 tem que correr contra o tempo