“O departamento de marketing não é uma prioridade nos clubes brasileiros”

Ricardo Hinrichsen
Foto Ricardo Hinrichsen Ricardo Hinrichsen começou como auditor da consultoria PricewaterhouseCoopers, cargo em que trabalhou de 1989 a 1991. Depois disso, teve passagem de dois anos e 11 meses pelo Banco Nacional. Em 1994, Hinrichsen foi contratado pela Sitotsky & Associados, empresa em que esteve até 2000. Por lá, em 1996, começou a ter contato com marketing esportivo de clubes de futebol. O segmento tornou-se ainda mais presente no cotidiano de Hinrichsen a partir de 2006, quando ele começou a trabalhar no departamento de marketing do Flamengo. Ocupou no clube os cargos de diretor e vice-presidente da pasta. Depois da incursão pelo clube rubro-negro, o executivo passou dois anos e quatro meses na agência Brunoro Sport Business (BSB), empresa em que Hinrichsen foi diretor de novos negócios. Desde 2012, Hinrichsen é diretor de negócios e consultoria da Golden Goal Sports Ventures, que faz parte do Chime Sports Marketing Group.

Número do dia

330 milhões

de reais é o quanto a Globo deve distribuir em prêmios aos times com os quais ela tem contrato no Brasileirão a partir de 2019.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Grêmio sobe audiência da Globo com Mundial
2Corinthians amplia contrato com a Nike até 2029
3Corinthians fecha com Kalunga para Beach Soccer
4Análise: Grêmio mostra erros de gestão que precisam ser corrigidos
5Após fracasso da Itália, Puma sofre novo golpe na Liga dos Campeões
6Roger Federer renova com Lindt por mais de 20 milhões de dólares
7Insatisfeito com a Adidas, Betis rescindirá contrato e tem Kappa na mira
8Neymar fecha com marca de café Pilão para 2018
9Arena de Pernambuco será palco do primeiro jogo do Barcelona no Brasil
10Palmeiras e Flamengo se destacam em estudo sobre finanças de times