Foto Patrice Rosembaum Francês de nascimento, Patrice Rosembaum ocupa o cargo de diretor de marketing do Palmeiras desde 1989, quando Carlos Bernardo Facchina Nunes assumiu a presidência do clube paulista. Antes de assumir o cargo no Palmeiras, pelo qual não é remunerado, Patrice se formou em odontologia e exerceu a profissão na França, onde durante o período da ditadura militar atendeu diversos brasileiros exilados no exterior. Sua volta ao país representou a primeira aventura de Rosembaum fora da odontologia. "De tanto ligar para o Brasil, descobri que havia um mercado de marketing direto a ser explorado. Cheguei a conversar com um grupo francês para eles investirem nisso, mas eles não quiseram. Mesmo assim voltei ao Brasil, comecei a trabalhar com isso no Estadão [o jornal "O Estado de São Paulo"] e foi um tremendo sucesso", afirma. Mesmo que alguns produtos sofressem fiscalização de órgãos reguladores do mercado questionando a veracidade do que era colocado à venda, o dirigente continuou exercendo a profissão. No Palmeiras, Rosembaum tem atuado com mais ênfase na consolidação do G-4, grupo de marketing que envolve o trabalho de fortalecimento do programa de licenciamento da marca dos quatro grandes clubes de São Paulo (Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo).

Número do dia

R$ 510 mi

Foi a arrecadação do Flamengo em 2016; cerca de 60% desse valor foi com verba de televisão (R$ 297 milhões)

Autoline

Patrocinado por


Banner

Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Fluminense acerta parceria com patrocinador da Fifa
2Palmeiras e Adidas lançam novo uniforme em Dia do Goleiro
3Palmeiras iguala melhor audiência na Libertadores 2017
4Por entrega a parceiros, Globo reforça Cartola
5Adidas perde para marca dinamarquesa a bola da Bundesliga
6'El Clásico' dá liderança isolada ao Fox Sports
7Peugeot apresenta carro com a marca de Roland Garros
8361º aposta em atleta e produto para crescer no Brasil
9Nuzman fica em último lugar em eleição da Odepa
10Análise: Desafio de Nuzman é no Brasil