“CEO da Fórmula Superleague fala sobre a expectativa para a estréia, projeta ganhos de quase R$ 1 bi em cinco anos e revela que quer categoria na TV aberta no Brasil”

Álex Andreu
Foto Álex Andreu Graduado em Economia pela Universidade de Barcelona e com mestrado em Administração de Negócios pelo Instituto de Empresa, de Madrid, Álex Andreu iniciou sua carreira na Coca-Cola Company, na capital espanhola, há 30 anos. Na multinacional, comandou as unidades de Amsterdã e Londres entre 1983 e 1989. A trajetória esportiva, porém, começou em 1990, quando Andreu passou a integrar a ISL Worldwide, com base na Suíça, para trabalhar nos Jogos Olímpicos de 1992, disputados na cidade onde nasceu. Após o evento, o espanhol formou a ISL Marketing espanhola. Na empresa, fez os projetos para o Campeonato Mundial de Esqui, que aconteceu em Sierra Nevada, na província de Granada, em 1995. Andreu trabalhou ainda para a Liga de Futebol Profissional Espanhola (LFP) e para a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF). Em 2004, ao lado de Robin Webb, fundou a Fórmula Superleague, que reúne clubes de futebol de todo o mundo em uma competição de automobilismo.

Número do dia

€ 1 bi

Por ano pede a Série A da Itália pelos direitos televisivos; próxima negociação abrangerá período entre 2018 e 2021.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Após venda para Heineken, Brasil Kirin deixa time de vôlei
2Jogo do Flamengo obtém melhor audiência do Brasileirão no Rio
3Palmeiras lança pacote para acompanhar jogo contra Inter pela Copa do Brasil
4Tottenham renova patrocínio máster por mais 5 anos
5Análise: Clubes precisam melhorar a entrega, se quiserem fidelizar patrocínio
6Asics apresenta no Rio novos uniformes da seleção de vôlei
7Robinho encerra imbróglio com Nike e fecha contrato com Adidas
8Com Crefisa, Palmeiras é top 10 entre camisas mais caras do mundo
9Com Djokovic, Lacoste volta a ter presença no tênis
10Análise: Estádio novo já é diferencial no mercado brasileiro