Thiago Braz com uniforme da Nike durante Olimpíada

Seis meses após o apagar da chama dos Jogos do Rio 2016, o COB (Comitê Olímpico do Brasil) vive debandada de patrocinadores. Os contratos com Nike, Nissan e Bradesco, encerrados em dezembro, não foram renovados.

A empresa de material esportivo era parceira do Time Brasil desde 2012, tendo vestido a equipe nas Olimpíadas de Londres 2012 e Rio 2016. No mês passado, a Máquina do Esporte já havia revelado que a Nike também deixara o Comitê Paralímpico Brasileiro. A relação com o time paralímpico também tinha começado em 2012.

Questionada, a marca não comentou as razões da saída. Apenas lembrou o tempo de relação.

“A Nike teve o privilégio de acompanhar a jornada do COB desde o início de 2012, quando firmou a parceria com o comitê para ser fornecedora oficial de material esportivo do Time Brasil rumo aos Jogos Olímpicos Rio 2016. Foram quatro anos intensos de muita parceria e aprendizado em um ciclo olímpico marcado pela evolução do esporte brasileiro.”

Rafaela Silva exibe kit do Bradesco durante Jogos do Rio

Já o banco ainda fará ação com o Time Brasil em março. “A parceria com o COB atendeu positivamente as expectativas do Bradesco. Em 29 de março encerramos esse ciclo com a realização do Prêmio Brasil Olímpico 2016, concedendo o prêmio de melhor técnico”, afirmou a empresa.

O motivo de a ativação ser realizada após o fim do contrato é que a festa de premiação do COB normalmente ocorre em dezembro. Neste ano, o comitê adiou o evento para março.

A Nissan, por sua vez, não comentou o fim do contrato. A Máquina do Esporte apurou que a montadora irá focar em seu time de atletas. A empresa vai apresentar seus planos esportivos para o ano em evento no Rio na semana que vem.

Procurado, o COB afirmou que “assim como os outros setores da sociedade, o esporte também vive os efeitos da crise econômica”. Apesar disso, já lançou um plano comercial para o novo ciclo olímpico que irá até os Jogos de Tóquio 2020.

Nissan Kicks lançado como carro oficial do Rio 2016

“As primeiras categorias que serão abertas para negociação são: material esportivo, banco e telefonia. O objetivo do COB é fechar estes três patrocinadores oficiais ainda em 2017. Ao longo do ano ainda serão abertas novas categorias de Apoiadores e Fornecedores Oficiais também, cada uma com uma grade de direitos/entregas especifica dentro do novo plano comercial”, afirmou o comitê.

Questionado sobre quem são seus patrocinadores atuais, o comitê não citou nenhuma empresa, apenas afirmou que "conta com o apoio dos 13 patrocinadores TOPs do Comitê Olímpico Internacional”. Atualmente essa lista é integrada por Coca-Cola, Atos, Alibaba Group, Bridgestone, Dow, GE, McDonalds, Omega, Panasonic, P&G, Samsung, Toyota e Visa.

Essas companhias, porém, não têm vínculo direto com o COB. O site da entidade nacional não exibe a marca de nenhum patrocinador brasileiro, apenas dos parceiros mundiais do COI.

Sem apoiadores privados, a principal fonte de receita da entidade no momento é a Lei Piva, que destina parte da arrecadação das loterias da Caixa Federal ao esporte olímpico e paralímpico brasileiros. Neste ano, a previsão é de arrecadar R$ 210 milhões através da lei.


Notícia COB Patrocínio Nike Nissan Bradesco Olimpíada Rio 2016

Número do dia

206 milhões

De reais é a renda bruta de bilheteria da Arena Corinthians desde a sua inauguração, antes da Copa de 2014.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Com Corinthians, Spotify esquenta briga entre aplicativos
2Dez empresas disputarão licitação para gerir comercializações da Conmebol
3Vereador apresenta projeto de lei para São Paulo não perder CT em 2022
4Patrocinadora, Evonik compra parte de Borussia Dortmund por R$ 80 milhões
5Mesmo com estatuto, São Paulo tem novo escândalo
6Neymar coloca Ligue 1 no topo da audiência da TV fechada
7 CBF confirma criação da Série D
8Dono do Manchester City negocia compra time na Espanha
9Com investidores, Michael Jordan e Derek Jeter compram Miami Marlins
10TOP 10 – Os dez clubes de maior destaque na última década