A torcida do Arsenal é a que mais gasta para acompanhar o time

O preço do ingresso mais barato na Premier League, a badalada primeira divisão da Inglaterra, subiu 15,8%. Isso representa quase o dobro do aumento do custo de vida do país. Os dados fazem parte do relatório anual da BBC sobre preço de ingressos no país. Contabilizando as quatro principais divisões, o aumento médio foi um pouco menor, de 13%.

O estudo coloca em números as críticas dos torcedores ingleses em relação ao preço cada vez mais alto para conseguir acompanhar seu clube de coração.

Nos últimos 12 meses, o acréscimo no preço pago pelo torcedor foi de 4,4%, o que representa mais do que o triplo da inflação da Inglaterra no período, que foi de 1,2%. O preço médio está em £ 21,49 (pouco mais de R$ 82).

O clube mais careiro da primeira divisão é o Chelsea, cujo bilhete mais barato sai por £ 50 (R$ 191). O ingresso mais caro é o do Arsenal, comercializado a £ 97 (R$ 370). Salgado? Acredite, esse valor representa uma redução de £ 29 em relação à temporada passada.

Assistir a um jogo no estádio Emirates é privilégio de poucos. O preço para o pacote de ingressos mais caro para toda a temporada é £ 2.013 (R$ 7.692), enquanto o mais barato sai por £ 1.014 (R$ 3.875). Esse pacote é superior aos mais caros oferecidos por outros 17 clubes da primeira divisão. As exceções são o Tottenham (R$ 7.241) e Chelsea (R$ 4.777).

O torcedor que recebe o salário mínimo inglês teria que trabalhar 156 horas para comprar o pacote de ingressos mais barato para acompanhar a temporada do Arsenal.

Acionistas minoritários do Arsenal farão uma reunião na próxima quinta-feira para tratar do preço dos ingressos, os mais altos do país.

Do outro lado da moeda, o Manchester City é quem tem os ingressos mais baratos para toda a temporada. Para acompanhar os jogos do time do brasileiro Fernandinho, o torcedor irá desembolsar R$ 1.142. O conjunto de bilhetes mais baratos entre as quatro principais divisões inglesas é o do Charlton Athletic, que comercializa as entradas por R$ 573.

Para assistir a um único jogo, Derby County e Sheffield Wednesday, ambos na segunda divisão, oferecem entrada por apenas R$ 38.

O levantamento também levou em conta gastos comuns dos torcedores em dias de jogos, como a compra de réplicas da camisa (mais baratas) e quanto custa para comer e beber no estádio.

Os dois clubes de Manchester são os mais careiros, cobrando R$ 210 por uma réplica da camisa. Já o Hull City é o mais barato: R$ 152.

Os quitutes oferecidos são tipicamente ingleses: chá e torta de carne. Na primeira divisão, Crystal Palace, Manchester City e Southampton cobram a mais cara tortinha: R$ 15. A xícara de chá mais cara são as de Liverpool, Manchester United e Southampton, por R$ 9,5.


Notícia Inglaterra Preço Ingressos

Número do dia

R$ 510 mi

Foi a arrecadação do Flamengo em 2016; cerca de 60% desse valor foi com verba de televisão (R$ 297 milhões)

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Conar suspende campanha de sócios do Flamengo
2Em parceria com Guarulhos, Corinthians anuncia time masculino de vôlei
3Com Djokovic, Lacoste volta a ter presença no tênis
4Athletic Bilbao troca Nike por New Balance
5Dono do Olympiacos compra Nottingham Forest
6Análise: Qual o limite para o marketing no esporte?
7COB acerta contrato com fornecedora de equipamentos de treino
8Clubes apostam em planos populares para atrair sócios
9Inter estreia em casa com campanhas do clube e da Nike
10Superliga Chinesa renova contrato de title sponsor