Tênis de mesa terá disputa de duplas mistas

Com a promessa de que irá limitar o número de vagas na Olimpíada para 10.500 atletas, o COI (Comitê Olímpico Internacional) realizou na última sexta-feira (dia 9) sua mudança mais radical no programa de competições em décadas.

Sob o argumento de aproximar a Olimpíada do público jovem e promover a igualdade de gêneros, o Comitê Executivo da entidade aprovou a entrada de modalidades como o BMX freestyle e o basquete 3 x 3.  Também aumentou o número de provas mistas, como o revezamento 4 x 100 m medley na natação e o 4 x 400 m no atletismo.

 “As fascinantes novas provas que aprovamos hoje, juntamente com os cinco novos esportes que foram adicionados ao programa de Tóquio 2020 no ano passado, representam uma mudança radical no programa olímpico. Estou muito feliz pelos Jogos Olímpicos de Tóquio serem mais jovens, urbanos e com a inclusão de mais mulheres”, afirmou Thomas Bach, presidente do COI, referindo-se também à entrada de beisebol/softbol, caratê, surfe, skate e escalada, aprovados em 2016.

Atletismo terá revezamento 4 x 400 m misto

Segundo o comitê, as decisões tomadas incluíram 15 novas provas e a redução de 285 atletas em relação ao número de competidores do Rio 2016. Também houve um aumento na representatividade feminina no evento. Na capital japonesa, elas serão 48,8% dos competidores em ação. O número de eventos mistos irá dobrar em relação à Olimpíada no Brasil, chegando a 18.

Pela primeira vez, quatro esportes terão o mesmo número de provas masculinas e femininas (canoagem, remo, tiro esportivo e levantamento de peso). Quanto a número de atletas, seis modalidades terão igual número de maneira inédita (canoagem, judô, remo, vela, tiro esportivo e levantamento de peso).

Basquete 3 x 3 será novidade em Tóquio 2020

Para não impactar custos maiores, o COI garante que todas as novas provas serão desenvolvidas em instalações esportivas já existentes no projeto de Tóquio.

Outra mudança significativa foi a inclusão do basquete 3 x 3. A modalidade foi desenvolvida pela Fiba (Federação Internacional de Basquete) a partir do basquete de rua. Em 2010, fez sua estreia internacional nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Cingapura. Dez anos depois de inventada, irá estrear no evento adulto, em Tóquio.

“É uma notícia fantástica. Com certeza, a visibilidade do esporte será outra a partir de agora. As empresas vão querer se aventurar no basquete 3 x 3”, espera Vinícius Cardoso, da ANB3 (Associação Nacional de Basquete 3 x 3), que desenvolve a modalidade no Brasil. 

 


Notícia COI Comitê Olímpico Internacional Tóquio 2020 Programa