Foto: André Luiz Mello / AGIF

O Rio Open chegou à quinta edição em 2018, o que tem representado um maior nível de maturidade entre os patrocinadores. A prova disso é o tamanho da diversificação das ações promovidas pelas empresas parceiras da competição. Social, relacionamento e contato direto com o consumidor têm sido recorrente no evento promovido pela IMM.

Nesta semana, a Máquina do Esporte entrou em contato com alguns dos principais patrocinadores do torneio para divulgar as ativações que têm sido realizadas nas quadras. Há uma situação corriqueira, é verdade: o relacionamento com clientes é ponto forte de um evento de tênis. As companhias usam as áreas VIPs e os camarotes para promover melhor experiência a um público selecionado, além de contar com as clínicas com atletas mais famosos.

Foto: Divulgação / Fila

Foi o caso da Fila. Nesta semana, a empresa convocou seu embaixador, Fernando Meligeni, para dar dicas de tênis a convidados, que foram de clientes a celebridades, caso do ex-ator da Record, Roger Gobeth. Para o público geral, a marca usou o tenista croata Marin Cilic para dar autógrafos em áreas de vendas de produtos oficiais do torneio carioca.

Mas as ativações vão além. Na última terça-feira (20), a seguradora Tokio Marine deu uma demonstração disso, ao colocar Cilic no Morro do Vidigal, no Rio de Janeiro. O atleta foi conhecer o Instituto Futuro Bom, ONG focada no desenvolvimento social por meio do esporte e que mantém apoio da empresa. Antes, a companhia já havia reunido crianças no complexo do Rio Open, onde elas puderam jogar tênis com nomes como Bia Haddad.

Uma estratégia recorrente entre os patrocinadores é a promoção de marcas e produtos diretamente com os consumidores, com foco nas 50 mil pessoas que devem passar pelo torneio. O grande exemplo desse segmento está na Claro, empresa que apresenta o Rio Open neste ano. Com wi-fi, a companhia disponibilizou a tecnologia 4,5G para os presentes.

Para demonstrar a velocidade da conexão oferecida a clientes, a Claro conta com um estande de 100 m², com experiência de realidade virtual e dispositivos diversos que possam testar o maior desempenho da companhia de telecomunicação.

O caso mais curioso é da Apex, que tem usado a competição para divulgar pão de queijo congelado. A organização selecionou a Forno de Minas para ativar o torneio, com o intuito de promover a exportação do produto tipicamente brasileiro. Os torcedores que passaram pelo boteco montado na arena podem aproveitar a iniciativa.


Notícia Rio Open tênis tenista Claro Apex Forno de Minas Tokio Marine Fila