A empresa chinesa Peak Sports acertou com o Comitê Olímpico do Brasil (COB) e irá vestir o Time Brasil durante os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio. A informação foi confirmada pela entidade, mas os detalhes do acordo ainda não foram divulgados. O plano é fazer um evento em setembro para apresentar oficialmente a parceria.

Dessa maneira, o COB soluciona um de seus principais problemas desde o fim dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Após o evento realizado no Brasil, a entidade não conseguiu renovar com seus patrocinadores, inclusive com a Nike. Sem um novo contrato, o Time Brasil estava sem fornecedor de material esportivo.

O último acordo, assinado com a Nike, foi fechado em 2012. A companhia americana esteve com os atletas brasileiros durante dois Jogos, em Londres e no Rio de Janeiro. Sem um novo parceiro para a área, o Time Brasil deverá manter as vestimentas da companhia até o fim deste ano, conforme revelou a Máquina do Esporte em junho.

O próprio COB já havia admitido que, apesar de manter conversas com outras marcas, não conseguiria ter novos uniformes já neste ano. O acordo com a Peak, portanto, deve passar a valer apenas em 2018, quando o Time Brasil irá disputar os Jogos de Inverno em PyeongChang.

Ser parceiro de um comitê olímpico não será novidade para a Peak, que já usou a mesma estratégia para entrar em outros mercados. Hoje, dez países têm a parceria com a empresa chinesa, mas nenhum deles com tamanho próximo do Brasil, tanto em número de atletas quanto em poderio econômico. Ucrânia, Nova Zelândia, Eslovênia, Egito e Nigéria são alguns dos times patrocinados pela companhia asiática.

A Peak foi fundada em 1989 e cresceu focada no basquete. Hoje, o grande nome da marca é Dwight Howard (foto), pivô do Charlotte Hornets, que disputa a NBA. A companhia também possui patrocínios no tênis e no futebol.

Sem citar o acordo com o Comitê Olímpico do Brasil, o CEO da Peak, Xu Zhihua, se manifestou nesta semana, em evento da marca chinesa, sobre a importância dos patrocínios para a empresa. “A Peak sempre se dedicou a formar um sistema de indústria do esporte na China, com apoio a comitês olímpicos em muitos países, com patrocínio a competições internacionais de esportes, com a NBA, entre outros”.


Notícia Time Brasil COB Peak

Número do dia

206 milhões

De reais é a renda bruta de bilheteria da Arena Corinthians desde a sua inauguração, antes da Copa de 2014.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Com Corinthians, Spotify esquenta briga entre aplicativos
2Dez empresas disputarão licitação para gerir comercializações da Conmebol
3Patrocinadora, Evonik compra parte de Borussia Dortmund por R$ 80 milhões
4 CBF confirma criação da Série D
5Vereador apresenta projeto de lei para São Paulo não perder CT em 2022
6Unicred faz 1ª campanha publicitária com Cesar Cielo
7Mayweather cobrará 25 milhões de dólares por uso de espaço em suas roupas
8Tom Brady esconde logotipo da Nike e reativa batalha de marcas na NFL
9Com investidores, Michael Jordan e Derek Jeter compram Miami Marlins
10Análise: Conhecer o cliente é a próxima tarefa dos clubes no Brasil