Foto: Reprodução / Twitter (@MizunoRunning)

A Mizuno encerrou os nove primeiros meses de seu ano fiscal em dezembro com uma alegria e uma preocupação. A marca japonesa obteve um lucro de 24,5 milhões de euros, 263% maior que no mesmo período do ano anterior. No entanto, as vendas tiveram uma queda de 1,6%, chegando a pouco mais de 996 milhões de euros.

Os números extremamente animadores em relação ao lucro não foram suficientes para deixar os diretores da empresa satisfeitos, mesmo com uma melhora significativa em relação a 2016, ano em que os resultados foram considerados fracos. O motivo é o fato das vendas da marca seguirem em uma queda contínua nos últimos anos, embora dessa vez o problema tenha sido menos acentuado.

De acordo com os números de março (início do ano fiscal) a dezembro divulgados pela marca, a única região que constatou aumento nas vendas foi a Ásia-Oceania (que não inclui o Japão), onde o volume de negócios chegou a 117,2 milhões de euros, 3,2% maior que no ano anterior.

Se for considerado apenas o Japão, terra natal da marca e seu principal mercado, a situação é outra. No país, houve queda de 0,65% nas vendas, alcançando 675 milhões de euros. O declínio também ocorreu na América (123 milhões de euros, 9,7% a menos) e na região que compreende Europa, Oriente Médio e África (80,1 milhões de euros, 3,5% a menos).

Assim como no último relatório, divulgado ao final do primeiro semestre fiscal, em setembro de 2017, a Mizuno explicou que o declínio nas vendas na América e na Europa pode ser explicado por uma retração no mercado de running (corrida de rua), carro-chefe da marca.


Notícia Mizuno vendas lucro faturamento ano fiscal

Número do dia

900 milhões

de euros deve faturar o Barcelona neste ano, um incremento de 40% em relação à temporada passada; meta é de chegar a 1 bilhão em 2021.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Copa do Nordeste é primeiro torneio do continente a ter produtos licenciados
2Desodorante Axe, da Unilever, fecha com rivais Boca Juniors e River Plate
3Patrocínio da Petrobras é destaque em lançamento de novo carro da McLaren
4Centauro patrocina amistoso do Barcelona em Pernambuco
5Osasuna fecha com Hummel e é mais um a substituir Adidas
6Band abre mão de Copa, que só terá Globo na TV aberta
7Alfa Romeo Sauber acerta patrocínio da Claro na F1
8Empresa de bebidas energéticas pode comprar Force India, da F1
9Jogos de Inverno terão maior transmissão da história no Brasil
10Santos faz ação inteligente e usa Dodô errado para anunciar Dodô certo