A Associação Atlética de Boston (BBA) anunciou, na última terça-feira, que o total de prêmios distribuídos para a 112ª Maratona de Boston aumentou 38%, passando dos US$ 575 mil iniciais para os US$ 796 mil (de R$ 966 mil para R$ 1,33 milhão), batendo o recorde de premiação. O acréscimo só foi possível por causa do Banco John Hancock, que é o principal patrocinador da corrida desde 1986. "Por mais de 20 anos, o banco tem parceria com a BBA para colocar a Maratona de Boston na elite do atletismo mundial. Desde 1986, quando começamos a patrocinar, já investimos US$ 11 milhões [R$ 18,48 milhões] em prêmios", afirmou Guy Morse, diretor executivo do BBA. Os campeões da categoria master do feminino e do masculino receberão, cada um, US$ 150 mil (R$ 252 mil), o que significa um recorde para corridas individuais entre os maiores eventos de maratona do mundo, que incluem a Maratona do Banco Chigago, Maratona de Berlim entre outras. "John Hancock está orgulhosa de sua longa história de apoio à Maratona de Boston, colocando a prova entre as mais premiadas do mundo. Para comemorar nosso 23º ano apoiando, além de aumentarmos o prêmio, organizamos uma comissão para atrair os melhores atletas ao redor do mundo", concluiu John D. DesPrez III, presidente e chefe-executivo do banco.


Notícia Gestão