Prédio apelidado de Torres de Dança, um dos cartões-postais de Hamburgo

Os moradores de Hamburgo rejeitaram a candidatura da cidade a sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2024. A cidade alemã era uma das cinco finalistas do COI (Comitê Olímpico Internacional) junto com Roma, Paris, Budapeste e Los Angeles.

No domingo, porém, um referendo apontou que 51,6% dos hamburgueses não querem que a cidade desembolse verba com a candidatura. A cidade no norte do país havia vencido eleição promovida pelo Comitê Olímpico Alemão. O país não é sede da Olimpíada desde Munique-1972, quando ainda era dividido em porção Ocidental e Oriental.

O resultado da eleição em Hamburgo não chega a ser impressionante, já que a cidade já havia rejeitado, dois anos atrás, candidatura aos Jogos de Inverno de 2022.

Kiel, que sediaria as provas de vela, também recusaram a candidatura no plebiscito, com quase dois terços de rejeição. No entanto, apenas 32% do eleitorado da cidade compareceu às cabines de votação. Em Hamburgo, houve 651 mil votantes, o que representa metade do eleitorado.

“Essa é uma decisão que não queríamos, mas está claro”, lamentou Olaf Scholz, prefeito de Hamburgo.

Os críticos do projeto diziam que os gastos de € 11,2 bilhões (R$ 44,31 bilhões) com os Jogos Olímpicos poderiam ser melhor aproveitados em outras áreas. Uma das preocupações dos moradores atualmente é com a grande leva de refugiados que estão chegando na cidade. “Muitas pessoas estão chegando e dormindo em barracas. Tem que haver dinheiro para isso”, afirmou Florian Kasiske, um dos líderes da campanha do “não”. 


Notícia Hamburgo Olimpíada-2024 Candidatura