Foto: Reprodução / Twitter (@FIAFormulaE)

Hoje, se ouvisse falar que um piloto trocou a Fórmula 1 pela Fórmula E porque quis, você acreditaria? Não? Pois é. Mas isso não deve demorar a acontecer. Afinal, até uma empresa que era parceira da F1 desde a década de 1970 já está tomando essa atitude. A Hugo Boss anunciou oficialmente que está fazendo a troca. E de forma convicta.

Além do design das roupas oficiais da categoria de carros elétricos, o acordo inclui também presença de publicidade da marca de moda alemã nos circuitos urbanos do campeonato da categoria.

"Os motores e as corridas nas principais cidades são algo que um público mais jovem gosta, o que oferece novas oportunidades. Claro que a Fórmula 1 é a melhor categoria do automobilismo, mas a Fórmula E é mais inovadora e sustentável", revelou Mark Langer, CEO da Hugo Boss, em entrevista à revista alemã Focus.

A marca alemã é a primeira do ramo da moda a fechar patrocínio com a Fórmula E. Porém, está longe de ser a primeira no geral, o que mostra o crescimento cada vez maior da categoria. Além da Hugo Boss, a F-E já conta com outros parceiros premium, como BMW, TAG Heuer, a fabricante de champanhe Mumm e o patrocinador máster, o banco suíço Julius Bär.

A lista de parceiros, no entanto, não acaba por aí. Marcas mundialmente conhecidas como Allianz, Visa, Michelin, DHL, Enel, Arrival e Qualcomm também são patrocinadoras da categoria.

Vale lembrar que a Hugo Boss é parceira da Fórmula 1 há quase 40 anos. A marca foi patrocinadora da McLaren por cerca de 30 anos, no período mais bem-sucedido da história da equipe. Desde 2015, a empresa patrocina a Mercedes e, nestes últimos três anos, também esteve presente nos títulos de Lewis Hamilton e Nico Rosberg pela equipe alemã.


Notícia Fórmula 1 F1 F-E Fórmula E patrocínio Hugo Boss