Foto: Reprodução / Twitter (@SeFutbol)

A Espanha corre o risco de ficar fora da Copa do Mundo de 2018. Mesmo com uma campanha irretocável nas eliminatórias europeias, a Fúria pode perder a vaga por uma questão extracampo: a interferência do atual governo na Real Federação de Futebol Espanhol (RFEF), criticada e condenada veementemente pela Fifa. As informações são do jornal espanhol El País.

De acordo com a publicação, a Fifa teria enviado uma carta em tom de ameaça à RFEF, com severas críticas à possível interferência do governo do país na entidade que comanda o futebol espanhol. O motivo seria uma proposta do Conselho Superior de Esportes (CSD) que exige que se repitam as eleições realizadas para a presidência da federação.

O pleito, ocorrido em maio e que reelegeu Ángel María Villar, teria evidências de irregularidades. Villar, inclusive, foi preso em julho. Para a Fifa, a proposta do CSD é uma interferência governamental, o que colocaria em risco a autonomia da RFEF, ferindo o estatuto da entidade máxima do futebol mundial, que proíbe “interferência de terceiros”.

Esta não é a primeira vez que a Espanha recebe uma ameaça dessa magnitude. Em 2008, pouco antes de jogar a Eurocopa na Áustria e na Suíça em que terminaria como campeã, a seleção espanhola foi avisada de que corria o risco de ficar fora da competição por conta da recusa do governo do país em permitir que o processo eleitoral na RFEF fosse resolvido além de um certo tempo previsto.

Pelos lados da Fifa, esse tipo de ameaça também não é novidade. Além da Espanha, outros países também receberam ameaças e chegaram a ser suspensos por conta de intervenção política em suas federações. Entre eles estão Iraque (2009), Nigéria (2014) e Indonésia (2015).

No sorteio realizado no dia 1o de dezembro em Moscou, a Espanha caiu no Grupo B da Copa do Mundo do ano que vem, ao lado de Portugal, Marrocos e Irã. Se nada impedir, a Fúria tem estreia prevista para o dia 15 de junho, às 15h, no Estádio Olímpico de Sochi, diante de Portugal.


Notícia Espanha Copa do Mundo Rússia 2018 RFEF Fifa interferência entidade governo

Número do dia

15 milhões

de euros anuais pagará a Qatar Airways pelos naming rights das etapas de Paris, Nova York, Roma e Berlim da Fórmula E.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Under Armour avança no Nordeste e fecha com Sport
2Valle Express mira expansão de franquias com Fluminense
3Copa do Brasil fecha patrocínio máster com casa de apostas on-line Bodog
4Com Yahoo, Verizon leva transmissão da NBA a celulares
5Empresa de bicicletas impede que Messi registre marca própria
6Leeds United é adquirido por executivo italiano
7Netflix divulga data de estreia de documentário/série sobre a Juventus
8De olho na Olimpíada de 2020, Oi foca investimentos no surfe e no skate
9Com Crefisa, Palmeiras é top 10 entre camisas mais caras do mundo
10Análise: Manutenção dos Estaduais é constrangedor para futebol