O Comitê Olímpico do Brasil tem um novo presidente. Paulo Wanderley Teixeira, ex-presidente da Confederação Brasileira de Judô, assumiu o cargo após a prisão de Carlos Arthur Nuzman, na última quinta-feira (05).

Paulo Wanderley permanecerá no cargo até que o futuro de Nuzman seja definido pela Justiça. Na CBJ, o dirigente permaneceu no posto máximo por 16 anos. Neste ano, ele deixou o cargo para Sílvio Acácio Borges.

“Quem não está dentro da conformidade tem que estar. É governança, transparência, compliance, outra realidade. Sou adepto disso. Se não se encaixar está fora”, afirmou o Paulo Wanderley em entrevista ao portal Globoesporte.com.

O dirigente, por outro lado, manteve tom ameno para se referir ao seu antecessor. Para Paulo Wanderley, nenhuma medida será tomada antes das investigações indicarem algo com maior claridade.

A primeira missão de Paulo Wanderley no comando do COB será de regularizar a entidade frente ao Comitê Olímpico Internacional, que nesta sexta-feira (06) suspendeu provisoriamente o grupo brasileiro. 


Notícia COB Nuzman CBJ