Rose Bowl Stadium, em Pasadena, na Califórnia, abrigou a final da Copa do Mundo de 1994 entre Brasil e Itália

Os brasileiros lembram-se com alegria da Copa do Mundo de 1994. Afinal, o tetracampeonato veio com Romário, Bebeto, Taffarel e companhia após 24 anos sem conquistas. Mas outro país também parece ter lembranças positivas daquele torneio: os Estados Unidos, que serviram de sede naquele ano e estão dispostos a qualquer coisa para fazerem o mesmo em 2026.

A nova cartada norte-americana, que dessa vez faz parte de uma candidatura conjunta com Canadá e México, é de que dispõe de 49 estádios em 44 cidades diferentes para sediar o Mundial. De acordo com os números divulgados pelo comitê responsável pela tripla candidatura, seriam 34 cidades (37 estádios) nos Estados Unidos, sete cidades (nove estádios) no Canadá e três cidades (três estádios) no México.

Outro fato acordado entre os países presentes na candidatura é de que, dos 80 jogos que serão disputados em 2026, 60 seriam em território norte-americano, incluindo todos a partir das quartas de final, enquanto Canadá e México ficariam com dez cada um. 

Para se ter uma ideia da força da candidatura, ela conta com o apoio de 31 das 32 franquias da NFL, que já colocaram seus estádios à disposição. A exceção é o Buffalo Bills.

A FIFA decidirá onde será disputada a Copa do Mundo de 2026 na véspera da abertura do Mundial de 2018, em 13 de junho do ano que vem. Estados Unidos, Canadá e México disputam com o Marrocos.


Notícia Copa do Mundo Mundial 2026 Estados Unidos EUA Marrocos candidatura