Rose Bowl Stadium, em Pasadena, na Califórnia, abrigou a final da Copa do Mundo de 1994 entre Brasil e Itália

Os brasileiros lembram-se com alegria da Copa do Mundo de 1994. Afinal, o tetracampeonato veio com Romário, Bebeto, Taffarel e companhia após 24 anos sem conquistas. Mas outro país também parece ter lembranças positivas daquele torneio: os Estados Unidos, que serviram de sede naquele ano e estão dispostos a qualquer coisa para fazerem o mesmo em 2026.

A nova cartada norte-americana, que dessa vez faz parte de uma candidatura conjunta com Canadá e México, é de que dispõe de 49 estádios em 44 cidades diferentes para sediar o Mundial. De acordo com os números divulgados pelo comitê responsável pela tripla candidatura, seriam 34 cidades (37 estádios) nos Estados Unidos, sete cidades (nove estádios) no Canadá e três cidades (três estádios) no México.

Outro fato acordado entre os países presentes na candidatura é de que, dos 80 jogos que serão disputados em 2026, 60 seriam em território norte-americano, incluindo todos a partir das quartas de final, enquanto Canadá e México ficariam com dez cada um. 

Para se ter uma ideia da força da candidatura, ela conta com o apoio de 31 das 32 franquias da NFL, que já colocaram seus estádios à disposição. A exceção é o Buffalo Bills.

A FIFA decidirá onde será disputada a Copa do Mundo de 2026 na véspera da abertura do Mundial de 2018, em 13 de junho do ano que vem. Estados Unidos, Canadá e México disputam com o Marrocos.


Notícia Copa do Mundo Mundial 2026 Estados Unidos EUA Marrocos candidatura

Número do dia

9 milhões

de reais é o valor estimado dos aparelhos de ginástica que foram instalados no Parque Olímpico e serão usados por atletas profissionais.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Por reputação mundial, Petrobras retorna à F1 com a McLaren
2Bayern de Munique substitui parceria com Lufthansa por Qatar Airways
3Brasil Open fecha com quatro emissoras
4Análise: Neymar não precisava de acordo com a Globo
5Cruzeiro resgata apelido e faz campanha por Libertadores
6Jogos de Inverno terão maior transmissão da história no Brasil
7Fundo chinês assume controle do grupo multimídia Mediapro
8Santos refaz acordo com Umbro, que vestirá clube até 2020
9Rede de fast-food argentina fecha com AFA para Copa do Mundo
10SporTV e Samsung fazem parceria e terão aplicativo em 4K para Copa 2018