O futebol ainda está longe de ser grande nos Estados Unidos. Apesar de o ‘soccer’ estar mais conhecido e apreciado, ainda é um esporte de nicho. E por mais que os números estejam melhores, o americano ainda demonstra, no geral, preferência por outras modalidades.

Futebol americano, beisebol, basquete e hóquei são considerados os quatro principais esportes do país. Hoje, a Major League Soccer (MLS) se esforça para consolidar o futebol como a quinta força dos Estados Unidos. No entanto, o caminho ainda é longo, e algumas histórias recentes reforçam isso.

No dia 24 de março de 2017, por exemplo, o time masculino de futebol dos Estados Unidos jogava contra Honduras, um jogo crítico para a seleção americana, que estava fora da zona de classificação para Copa do Mundo na Rússia. Enquanto cerca de 18 mil pessoas estiveram no estádio para ver a goleada de 6 a 0 da equipe local, a partida foi transmitida apenas por canal pago. Na mesma hora, as oitavas de final do basquete universitário aconteciam. Dois dos jogos foram transmitidos por pela televisão aberta e todos os demais em canais pagos. Em muitos bares, o convite era para assistir o basquete universitário e nenhuma tela exibia o futebol.

Há algumas semanas, uma situação interessante ficou por conta do apresentador de um dos telejornais da região da Bay Area, onde ficam as cidades de San Francisco, Oakland e San Jose, que possuem sete times profissionais - San Francisco 49ers e Oakland Raiders na NFL, San Francisco Giants e Oakland A’s no baseball, Golden State Warriors na NBA, San Jose Sharks no hóquei e San Jose Earthquakes na Major League Soccer. Ele anunciou que naquele dia histórico “todos os times da Bay Area, menos 49ers e Raiders, entraram em campo”. Todas as equipes receberam reportagens do mesmo tamanho. Exceto o futebol, que foi completamente ignorado.

Outras histórias curiosas ocorreram durante a Copa América Centenário, organizada nos Estados Unidos no ano passado. Apesar de ser transmitida apenas por um canal pago, o evento até atraiu grande público para os estádios. O interesse, no entanto, ficou mais com os latinos.  A organização buscava voluntários que falassem espanhol sem a necessidade de falar inglês, principalmente para a sala de imprensa.  A maioria dos jornalistas que cobriram as partidas nas quais os Estados Unidos jogavam eram da América Latina.

Já a semifinal entre Estados Unidos e Argentina foi o 49º evento esportivo mais assistido na televisão em 2016 em solo norte-americano. Porém, nos bares onde o jogo estava sendo transmitido, havia muito mais camisas da Argentina.  Onde o futebol não estava sendo exibido, a preferência foi para o baseball, mesmo com a temporada regular ainda no meio. E muitos torcedores americanos deram preferência ao beisebol.


Notícia MLS Futebol Estados Unidos

Número do dia

206 milhões

De reais é a renda bruta de bilheteria da Arena Corinthians desde a sua inauguração, antes da Copa de 2014.

Autoline

Patrocinado por



Boletim
Capa Boletim Boletim Máquina do Esporte

Receba o Boletim Máquina do Esporte por email

Cadastre-se Agora

Mais lidas

1Com Corinthians, Spotify esquenta briga entre aplicativos
2Dez empresas disputarão licitação para gerir comercializações da Conmebol
3Patrocinadora, Evonik compra parte de Borussia Dortmund por R$ 80 milhões
4 CBF confirma criação da Série D
5Vereador apresenta projeto de lei para São Paulo não perder CT em 2022
6Unicred faz 1ª campanha publicitária com Cesar Cielo
7Mayweather cobrará 25 milhões de dólares por uso de espaço em suas roupas
8Tom Brady esconde logotipo da Nike e reativa batalha de marcas na NFL
9Com investidores, Michael Jordan e Derek Jeter compram Miami Marlins
10Análise: Conhecer o cliente é a próxima tarefa dos clubes no Brasil